A importância da agricultura 4.0

Publicado em: 28 maio - 2020

Leia todas


Coopercitrus também tem uma relação bastante sólida com a BASF. A cooperativa soma mais de 36 mil agropecuaristas e tem o apoio de 2,7 mil colaboradores. Ela faturou R$ 4,8 bilhões em 2019, um crescimento de 16% em relação ao ano passado 

“Somos muito fortes em fornecer aos cooperados sementes, fertilizantes, defensivos e itens de nutrição animal, além de dar todo o apoio ao universo agropecuário. A BASF sempre nos deu suporte, inclusive com assistentes técnicos e de vendas, especialistas em pesquisas, consultores e até profissionais de universidade. A marca oferece soluções completas e o nosso associado reconhece”, avalia o diretor presidente da Coopercitrus, Fernando Degobbi.

A Coopercitrus soma quase 45 anos. Com sede em Bebedouro (interior de São Paulo) e mais de 60 filiais, também em Minas Gerais e Goiás, a cooperativa vem ofertando insumos agrícolas que representam 50% da arrecadação financeira anual. O restante é obtido na venda de implementos, maquinários e serviços.

“Os processos agroindustriais desenvolvidos através das cooperativas garantem maior competitividade, viabilizando pequenas propriedades, renda e manutenção dos agricultores no campo, o que traduz em negócios o 7º princípio do cooperativismo” comenta o gerente de acesso ao mercado da BASF para as cooperativas do Brasil, Gustavo Bastos.

Gustavo Bastos, gerente de acesso ao mercado da BASF para cooperativas

A Coopercitrus mantém postos de combustíveis junto a unidades produtivas, tem shoppings próprios e vende desde pequenas ferramentas a itens para fazenda, selaria, linha automotiva, rações, pet shop, jardinagem, souvenirs, cutelaria, bricolagem, linha fitness e camping. Ela também atua em projetos de irrigação.

Como se não bastasse, a Coopercitrus comercializa tratores e colheitadeiras Valtra e New Holland, entre outros itens e marcas voltadas à preparação do solo, semeadura e plantio. A cooperativa é a maior vendedora de pneus Pirelli para implementos agrícolas e carros de passeio no País, além de dispor ao consumidor óleos, lubrificantes, motosserras e até recursos para cuidados com piscinas.

De seis anos para cá, a Coopercitrus adotou a agricultura de precisão. Com o auxílio de fornecedores, a cooperativa vem entregando alta tecnologia em larga escala para médios e pequenos produtores – 90% do quadro de associados. 

“Contamos com amostras de solo georreferenciadas, sob análise da área de tecnologia agrícola, que tem mais de 200 colaboradores, agrônomos, engenheiros mecânicos, zootecnistas e veterinários. Instalamos pilotos automáticos em maquinários e tratamos do plantio a partir de algoritmos e drones. Já são mais de 6 mil associados atendidos. É a inovação presente na plantação”, ressalta o diretor presidente da Coopercitrus, Fernando Degobbi.

Fernando Degobbi, presidente da Coopercitrus

A cooperativa utiliza drones de pulverização ao controle de pragas e ervas daninha. Já os drones de imagens/vídeos atuam no monitoramento da propriedade, identificando problemas difíceis de apurar quando se está caminhando nas plantações. Com levantamentos detalhados em 3D, obtêm-se dados que otimizam o número de plantas e a alocação das linhas, reduzem manobras diversas de maquinário e o número de carreadores, além de aumentarem os talhões.

“A BASF é pioneira em programas de imagem por satélite, equacionando problemas no cultivo da cana de açúcar. Ela atuou na instalação de estações meteorológicas nos produtores. Temos muita satisfação nessa parceria”, acrescenta o diretor presidente da Coopercitrus, Fernando Degobbi.


Matéria veiculada no Caderno BASF (revista MundoCoop edição 93)



Publicidade