Agricultura sustentável é tema de encontro em Campinas que alerta para novos hábitos de produção e consumo

Publicado em: 15 abril - 2019

Leia todas


Alimentos mais saudáveis, meio ambiente preservado, maior produtividade e mais renda aos produtores rurais. Essas são algumas das vantagens da agricultura sustentável, tema do I Encontro Técnico de Agricultura Sustentável, realizado no dia 13 de abril, em Campinas. Organizado pelo Grupo Agricultura Sustentável (GAS), com apoio da Prefeitura Municipal e de empresas privadas, o evento que reuniu produtores rurais, pesquisadores, empresários e representantes do exterior, teve como objetivo promover o debate sobre a adoção de medidas para reduzir o impacto da atividade agrícola, os custos de produção e o uso de defensivos químicos.

Presente no encontro, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira, enalteceu a relevância da temática. “Esse encontro está alinhado com o que pensamos para a gestão da agricultura paulista. É cada vez mais importante produzir com eficiência e proteger com eficácia os recursos naturais. Dessa forma, o produtor pode ter mais independência e renda e poderemos acelerar o desenvolvimento rural sustentável”, avaliou Junqueira. Durante o encontro, o secretário recebeu das mãos do empresário Edwin Montenegro, produtor de macadâmia de Bocaina, uma proposta de projeto de um selo regional de agricultura sustentável. “O selo permitirá que consumidores identifiquem que determinado produto foi cultivado regionalmente e de forma sustentável. É uma forma de valorizar o produtor e informar o cidadão sobre o que consome”, explica Edwin.

Economista, empresária e embaixadora global da África, Tânia Teresa Tomé levou ao encontro a mensagem de que seu país tem potencial para alimentar o mundo. “Cerca de 80% das terras africanas são inexploradas e apresentam uma capacidade de fertilidade imensa. É fundamental que se criem parcerias entre os países que já apresentam estudos e técnicas favoráveis à agricultura, como o Brasil. A agricultura pode e deve ser viável economicamente para os estados e países. O agrobusiness já é um negócio do futuro”.

Pascal Langenegger, que integra um comitê suíço que estuda o fim dos pesticidas na agricultura, apresentou as exigências do consumidor atual. “Ao implantarmos este novo sistema de produção na Suíça, que é o espelho da Europa, conquistamos respostas positivas de produtores e consumidores, principalmente da nova geração, que estão conscientes da necessidade de preservarem a saúde e o meio ambiente”. Para Pascal, um desafio a ser enfrentado ainda é o preço repassado ao consumidor. “Todos, independente da classe social, têm o direito de consumir produtos saudáveis e por isso temos que estudar alternativas para facilitar a aquisição desses alimentos”. Na Suíça, em um universo de 50 mil produtores rurais, há cerca de 6.700 adeptos da agricultura orgânica e a ideia é incentivar, em todos os países, uma maior adesão a esta nova proposta de produção, que já tem provas de ser viável.

De acordo com o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, os debates em torno de produção e alimentação saudáveis são fundamentais. “A Central de Abastecimento de Campinas é municipal e o quarto entreposto de alimentos do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Em nossa Ceasa há uma feira de produtos da agricultura sustentável, que é um sucesso, o que mostra o interesse dos cidadãos para com esses alimentos.” Andre Von Zuben, secretário de Desenvolvimento Econômico de Campinas e presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e do Agronegócio, espera que, em breve, a agricultura sustentável seja uma realidade em Campinas e região. “Já há produtores envolvidos com a temática, no entanto, queremos incentivar um número ainda maior de adeptos e este encontro é um primeiro passo de muitos que daremos para fortalecer a agricultura sustentável”.

Produtor e proprietário de uma empresa que fabrica um fertilizante à base de babosa e que não utiliza agrotóxicos na sua composição, Magno Alves é de Santa Cruz do Rio Pardo, em Goiás, onde organizou o primeiro evento com esta temática. Com o sucesso da ação no centro-oeste brasileiro, Magno  teve como meta levar as discussões para o estado de São Paulo e organizou o I Encontro Técnico de Agricultura Sustentável de Campinas. “Estou satisfeito com a realização desses debates. A agricultura sustentável tem se mostrado benéfica não só para o planeta, mas também para o bolso do agricultor, reduzindo os custos e elevando a produtividade. Devemos acompanhar as mudanças nos hábitos de consumo do mundo todo e nos adaptar. Já é possível fazer uma nova agricultura”.


Fonte: Imprensa Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo com adaptação da MundoCoop



Publicidade