Encadeamento Produtivo possibilita expansão de empresas com foco no agronegócio

Publicado em: 25 abril - 2017

Leia todas


Considerado o maior programa de estímulo ao desenvolvimento das pequenas e médias empresas ligadas ao agronegócio do sul do Brasil, o Encadeamento Produtivo visa a desenvolver e aperfeiçoar as pequenas empresas integradas na cadeia produtiva capitaneada pela Cooperativa Central Aurora Alimentos. O programa é desenvolvido pelo Sebrae/SC, Aurora Alimentos, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), Sicoob, Fundação Aury Luiz Bodanese e oito cooperativas agropecuárias – Cooperalfa, Itaipu, Auriverde, Coolacer, Copérdia, Caslo, Cooper A1 e Coopervil.

A iniciativa é a extensão do Programa de Desenvolvimento de Empreendedores Rurais Cooperativistasuma das mais antigas e vitoriosas parcerias orientadas para a profissionalização de produtores rurais do País. O programa é desenvolvido em quatro etapas que incluem adesão ao projeto, diagnóstico das necessidades da empresa rural ou urbana, elaboração de plano de ação e capacitação e consultoria para acesso ao mercado.

 

Um exemplo

Entre os produtores que integram o projeto está a Mais Leite, que, segundo a proprietária Táubita de Sordi, por meio de um sistema de cadastro de dados para o controle reprodutivo e gerencial da atividade, a Mais Leite visa contribuir com a estruturação da cadeira produtiva, integrando ações na busca pelo desenvolvimento e satisfação dos produtores e consumidores

A metodologia do sistema une a gestão das propriedades, a assistência técnica e as cooperativas e laticínios aliando gerenciamento, competitividade, rentabilidade, responsabilidade social e ambiental. “Por meio do software é possível que o produtor faça a gestão do rebanho, controle reprodutivo e de alimentação dos animais e também o controle financeiro. Além disso, a assistência técnica auxilia na identificação de problemas e busca soluções viáveis de acordo com a realidade de cada propriedade rural”, explica de Sordi, frisando que “o sistema já está sendo comercializado para laticínios e cooperativas da região. Conseguimos customizar o software de acordo com as necessidades de cada empresa. O módulo das indústrias une informações de todos os produtores que estão utilizando o sistema e traça alguns indicadores que são estratégicos. É possível fazer o planejamento da produção de leite e gerar um ranking entre essas propriedades para saber quais estão com a maior qualidade e quais necessitam ser trabalhadas individualmente para melhorias na produtividade”, complementa.

O Encadeamento Produtivo auxilia na divulgação e expansão da empresa, uma vez que possibilita a aproximação com o público alvo da Mais Leite. “É um trabalho excelente. Temos acesso a vários cursos, consultorias e espaços em feiras voltadas ao setor, como é o caso do Itaipu Rural Show, promovido recentemente em Pinhalzinho, em que estivemos em contato com produtores e cooperativas de vários municípios. Essas oportunidades são únicas e auxiliam na divulgação do nosso trabalho, além do aprimoramento da empresa que tem se tornado cada vez maior”, afirma a proprietária.

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC Enio Albérto Parmeggiani destaca que a intenção do Encadeamento é qualificar todos os envolvidos no processo de produção, especialmente as pequenas empresas rurais e urbanas que participam da cadeia produtiva comandada pelo grupo. “A ação impulsionará ainda mais a competitividade e a inovação em todo o processo da cadeia produtiva”.



Publicidade