Maior cooperativa da América Latina fatura R$ 14,8 bilhões em 2018

Publicado em: 11 fevereiro - 2019

Leia todas


Aroldo Galassini, presidente da Coamo

A maior cooperativa da América Latina, a Coamo Agroindustrial, de Campo Mourão, quebrou mais um recorde de faturamento. Mesmo com o Brasil em recessão, a empresa faturou R$ 14,8 bilhões no último ano (2018), crescimento de 33,6% ante o desempenho de 2017, quando, a Cooperativa registrou uma receita global de R$ 11,07 bilhões e fez a distribuição das sobras aos associados no montante de R$ 318 milhões.

Os dados foram anunciados extraoficialmente à imprensa nessa terça-feira (5), durante o 31º Encontro de Cooperados, na Fazenda Experimental, pelo presidente da cooperativa, José Aroldo Galassini. “Tivemos um ano bom, o faturamento foi o maior dos últimos 48 anos”, informou. Segundo ele, as sobras financeiras que serão revertidas para os cooperados (de acordo com a movimentação de cada um), que representam o lucro da cooperativa no ano, totalizaram de R$ 358 milhões em 2018, alta de cerca de 11%. A cooperativa tem mais de 28 mil associados. As sobras serão pagas no dia 18 deste mês.

Gallassini comentou que os números serão anunciados oficialmente durante a 49ª Assembleia Geral Ordinária (AGO) da cooperativa, no próximo dia 15 de fevereiro. O evento vai contar com participação de centenas de associados de todas as regiões atendidas pela cooperativa no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

O presidente lembrou que dos R$ 358 milhões das sobras, R$ 104 milhões já foram distribuídos em dezembro. “Em dezembro o cooperado recebeu um adiantamento para passar o Natal que é apelidado de décimo terceiro do cooperado, e agora um complemento na ocasião da assembleia geral e prestação de contas em fevereiro”, falou. Ele reafirmou que o volume de dinheiro é ‘muito grande’. “Tem cooperados de todos os tamanhos, o grande ganha bastante e o pequeno ganha menos, mas para ele a proporção é importante”, observou.

CREDICOAMO

Já no dia 28 de fevereiro será realizada assembleia geral da Credicoamo, que segundo Galassaini, teve o montante de R$ 98 milhões de sobras. Do valor total, metade vai para os fundos da cooperativa e a outra metade distribuída aos cooperados. O pagamento das sobras da Credicoamo será no dia 29. “É um ano bom de resultado e o cooperado fica muito satisfeito de vender bem durante o ano e ainda usufruir de um resultado por ocasião das sobras”, assegurou ao avaliar que o resultado foi ‘muito’ positivo.


Fonte: Tribuna do Interior



Publicidade