Produtores comemoram evolução do vinho no oeste catarinense


AGROCOOP


Consultora Facisc/Sebrae, Lenir Peres Pavan, os dois primeiros colocados na categoria Bordô, Bernardinho Venturin, de Quilombo, e Moacir Erthal, Pinhalzinho, com o coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggian

Reconhecer tecnicamente a qualidade dos vinhos, observar os resultados do projeto e, com isso, fortalecer o setor, tornando a região referência em vitivinicultura é o foco do IV Concurso de Vinho Artesanal Regional e a VIII Avaliação Municipal do Vinho de Quilombo, eventos realizados por iniciativa dos núcleos de vitivinicultores que participam dos projetos de fortalecimento do setor, com as associações empresariais de Pinhalzinho e Quilombo (ACIQ e ACIP), prefeituras municipais e Epagri.

No Concurso Regional, categoria Vinho Branco, o destaque foi para três produtores de Pinhalzinho: Moacir Luiz Erthal (terceiro lugar), Rosendro Luiz Babibsk (2º lugar) e Vilson Savagnago (1º lugar). Na categoria Vinho Tinto foram premiados os seguintes produtores: Armando José Basso (3º lugar), Leandro Simioni (2º lugar) e Vilson Savagnago (1º lugar), ambos de Pinhalzinho. Na categoria bordô destacaram-se Vilson Savagnago (3º lugar) e Armando José Basso (2º lugar). O primeiro lugar foi conquistado por dois vitivinicultores que obtiveram a mesma pontuação: Moacir Luiz Erthal, de Pinhalzinho, e Vinhos São Bernardino, do vitivinicultor Bernardino Venturin, de Quilombo.

Já no Concurso Municipal de Quilombo, na categoria Vinho Branco foram premiados os Vinhos De Cezaro, de Ivo De Cesaro (Medalha de Bronze), Vinhos Klein (Bronze) e Vinhos Steffens (Bronze). A categoria Vinho Tinto premiou os Vinhos Marafon (bronze) Vinhos Busnello (bronze), os Vinhos Steffens (bronze), os Vinhos Weirich (bronze), Vinhos Ecco (prata) e Vinhos Marafon (prata). Na categoria Bordô conquistaram o reconhecimento os Vinhos Cesco (bronze), Vinhos Ecco (bronze), Vinhos Lumi (bronze), Vinhos Marafon (bronze), Vinhos Busnello (prata) e Vinhos São Bernardino, do produtor Bernardino Venturin (ouro).

O coordenador do Núcleo de Vitivinicultores de Quilombo, Ivo De Cezaro – premiado com bronze no concurso municipal, na categoria Vinho Branco – ressaltou que a evolução dos vinhos é constante no município. Segundo ele, as novas tecnologias e práticas modernas oportunizaram a produção de vinhos que vêm conquistando espaço na mesa da população local e regional. “Este evento é especial para o Núcleo e, sem dúvida, os parceiros do projeto foram essenciais para a melhoria e o aumento da produção”, ressaltou o vitivinicultor que atua no segmento desde a infância e que na safra deste ano produziu cinco mil litros de vinho. O próximo passo, segundo De Cezaro, é montar uma cantina.

Já o coordenador do Núcleo de Vitivinicultores de Pinhalzinho, Vilson Savagnago – que conquistou o 1º lugar regional na categoria Vinho Branco e também na categoria Tinto, além de obter o 3º lugar na categoria Bordô – enfatizou que, ao analisar o resultado dos troféus no concurso regional, é possível perceber a significativa evolução na produção de vinhos de Pinhalzinho e região. “Houve um melhora muito grande de nossos vinhos nos últimos quatro anos e, esses troféus, expandirão o nome da região em termos de vinho”, afirmou o produtor que produz de 10 a 11 mil litros por ano.

A parceria do Sebrae/SC, da Facisc e demais envolvidos no projeto, segundo Savagnago, foi e continua sendo importante para evolução. “Agora estamos buscando a legalização dos vinhos. Nosso consultor Gilson Panceri Junior está com um projeto e se apresentou na Assembleia Legislativa, solicitando que autoridades deem atenção ao pequeno produtor. Além disso, a partir de 2018, os vinhos artesanais serão inclusos no simples, o que reduzirá impostos e facilitará a legalização”.

Premiado também em edições anteriores e que nesta obteve o 3º lugar regional na categoria Vinhos Branco e a 1ª colocação na categoria Bordô, Moacir Luiz Erthal, de Pinhalzinho, afirma que os troféus representam o aval para que a população dê importância aos vinhos: “É a dedicação de toda a cadeia produtiva que está lutando para que os objetivos sejam alcançados. Desde que começamos a participar de cursos e consultorias mudamos a forma de atuar e, principalmente, a mentalidade sobre produção. Além da tecnologia e o simples trato, conseguimos elaborar vinhos de qualidade que agrada a todos”. Opinião semelhante é emitida por Bernardinho Venturin, de Quilombo, que, como Erthal, foi premiado em edições anteriores e nesta conquistou o 1º lugar na categoria Bordô Regional e também no concurso municipal. “Os reconhecimentos incentivam a continuar na atividade, o que contribui para o aumento da renda”, finalizou o vitivinicultor que produz aproximadamente quatro mil litros por ano, dos três tipos de vinho.

Trajetória  

A consultora regional Noroeste da FACISC/SEBRAE, Lenir Peres Pavan, lembra que o Núcleo de Quilombo iniciou em 2009 com a implantação do Empreender (FACISC/SEBRAE).  “Começamos com o diagnóstico, seguido por planejamento, o que permitiu identificar as principais necessidades dos produtores. Com as ações melhorou todo o processo de preparo do solo de parreira e do vinho. Os resultados hoje são surpreendentes. A produção de uva saltou de 20.000 kg em 2009 para 213.900 em 2017. A produção de vinho que era de 71.400 litros em 2009 aumentou para 85.100 neste ano”, afirmou.

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, ressaltou que, historicamente, os projetos de Quilombo e Pinhalzinho foram subsidiados pelo Sebrae/SC e pelo projeto Empreender via FACISC, beneficiando diretamente as empresas rurais por meio de projetos como o Sebraetec, o Desenvolvimento Econômico e Territorial (DET) e as soluções da área de atendimento individual.

Um dos objetivos do Sebrae/SC, conforme Parmeggiani, é fortalecer e gerar sustentação da atividade, cujo desafio é a formalização dos pequenos negócios no campo em cumprimento às normativas do MAPA e outros aspectos do ambiente legal dos pequenos negócios. “É consequência e resultado direto deste projeto a elevação da qualidade dos vinhos produzidos no território e a implantação de novas parcerias, visando suprir o déficit e a necessidade de importação de vinhos e uvas. Apoiamos ações de articulação no Estado de SC, visando a simplificação dos processos e a formalização dos pequenos negócios da cadeia produtiva da uva”.



Publicidade