Inovação além da tecnologia – por Fernando Fagundes*

Publicado em: 23 novembro - 2018

Leia todas


Quando falamos em inovação, logo nos remetemos à tecnologia. No entanto, tecnologia não é sinônimo de inovação, pois esta pode ser encontrada em outras dimensões ou setores. A inovação pode estar na remodelação dos processos de uma organização, na variedade de produtos ou no programa de desenvolvimento dos colaboradores. Inovação é algo que tem de permear a empresa inteira.

No que tange à tecnologia, a transformação digital é um grande diferencial competitivo das empresas. No caso do cooperativismo de crédito, ela visa a gerar valor ao cooperado. É a forma de acelerarmos o crescimento do setor e democratizarmos o acesso às cooperativas. Mas é preciso ter claro que transformação digital é um processo, uma liderança, uma cultura, uma gestão de talentos.

Estratégias e planejamento são duas ferramentas que, com certeza, levarão a inovação para dentro das companhias. É importante entender qual a melhor forma e momento de inserir novas soluções. A inovação pode estar presente no desenvolvimento de produtos e serviços; em competições e estímulos; no desenvolvimento colaborativo, em parcerias, ou seja, é mais do que uma mudança tecnológica, é uma mudança cultural, de paradigmas.

Uma coisa é certa:  inovação e criatividade são elementos que devem fazer parte de todas as fases das nossas vidas. A inovação é o resultado de um processo criativo que culmina na geração de ‘valor’ para um negócio. Vale salientar que esse ‘valor’ pode variar de uma organização para outra. Por exemplo: para uma empresa pode ser a entrada de novos clientes, para outra pode ser manter os clientes que já possui.

A inovação conceitual é uma nova maneira de pensar e pode, ou não, envolver a criação de uma nova tecnologia. Não importa qual a área de atuação da empresa, o essencial é que toda e qualquer organização conheça muito bem seus clientes, internos e externos, e não meça esforços para oferecer a experiência perfeita de consumo de seus serviços e produtos.

Inovar é pensar diferente. Esse exercício faz parte do nosso cotidiano, pois nosso propósito é atender o cooperado da melhor forma possível, de maneira diferenciada. Temos consciência de que ninguém precisa perder para o outro ganhar. Por fim, sabemos que tornar um negócio inovador vai além do uso de tecnologias.

 

* Fernando Fagundes é CEO da Unicred do Brasil



Publicidade