Orgulho de ser médico – Dr. Murillo Capella é médico e professor do curso de Medicina da Unisul

Publicado em: 16 outubro - 2020

Leia todas


Lembro-me que o desejo de ser médico sempre me acompanhou desde a infância. Certa vez, meu pai me levou à loja do Sr. Anastacio Kotzias, de quem era grande amigo e avô do conhecido ortopedista pediatrico, situada na Rua Felipe Schmidt, no centro de Florianópolis. Era inverno. Eu trajava uma capa azul-marinho com botões dourados . Ao chegar, seu Anastacio olhou-me de cima para baixo e falou: ” Olha o futuro almirante”. E a frase era repetida todas às vezes que eu acompanhava meu pai à Loja Kotzias. Minha resposta era sempre a mesma:” Vou ser médico “. E assim foi. Hoje, formado há 58 anos, só tenho boas recordações dos momentos vividos ao longo da carreira. Agora, longe dos pacientes, sinto saudades deles. Saudades dos instantes passados no Hospital Infantil, no ambulatório, na emergência, no berçário e nas enfermarias, dos encontros com os colegas e das aulas que ministrei no Centro de estudos a tantos alunos e médicos residentes; do centro cirúrgico onde salvei muitas vidas; sinto pena e tenho compaixão pelas vidas que perdi, felizmente muito poucas. Saudades dos colegas, dos residentes, dos alunos e de vários servidores que muito me ajudaram. Sinto saudades de vários pais de pacientes que me disseram ” Obrigado, doutor!”, tocando meu coração e produzindo lágrimas de felicidade. Nessa fase da vida, atuando como professor e consultor educacional, e não mais como medico junto ao pacientes, posso afirmar, com o coração pulsando de alegria e o sentimento do dever cumprido por ajudar tantas pessoas, como é gratificante ser médico. Se tivesse que retornar no tempo do ginasial, eu diria de novo:” Vou ser medico; simplesmente medico.”


*Por Murillo Ronald Capella, médico e professor universitário do curso de Medicina da Unisul



Publicidade