BNDES Agro será liberado online


CREDICOOP


A partir de novembro, o  produtor rural pessoa física interessado em acessar a nova linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o cartão BNDES Agro, poderá fazer a solicitação no site do BNDES.

Esse cartão possibilita o apoio financeiro para o custeio de safras, aquisições de implementos agrícolas, contratação de serviços técnicos, entre outros itens. A Cabal Brasil e o Sicoob, juntos, enquanto membros do mesmo grupo financeiro, disponibilizam com essa modalidade de cartão um pacote completo de soluções: a bandeira Cabal, o serviço de credenciamento de lojistas e o processamento das operações para os emissores.

Para Marcos Vinícius Viana Borges, diretor de Meios Eletrônicos de Pagamentos do Banco Cooperativo do Brasil S/A (Bancoob),  sócio-controlador da Cabal Brasil, “é um privilégio poder, mais uma vez, apoiar o BNDES em iniciativas como essa voltada à modernização e ao ganho de eficiência no financiamento do agronegócio brasileiro”.

Segundo o diretor presidente do Bancoob, Marco Aurélio Borges de Almada Abreu, o apoio ao produtor rural e aos seus negócios é um dos principais pilares no cooperativismo do Sicoob. “Hoje, por intermédio de outras linhas de financiamento do BNDES, disponibilizamos investimentos com ticket médio de pouco mais de R$ 90 mil. O Cartão Sicoob BNDES Agro será mais uma importante ferramenta ao fomento dos negócios no campo para os cooperados produtores rurais, principalmente pela acessibilidade, desburocratização e agilidade que o cartão proporcionará na disposição de recursos. Ele possibilitará a junção de toda a força do cooperativismo brasileiro e do BNDES em um só produto”, afirma o executivo.

Merece destaque o fato de que, em 2012, a bandeira Cabal foi autorizada a operar o Cartão BNDES para a micro, pequena e média empresa. Com a parceria, a Cabal passou a ser a terceira bandeira licenciada pelo BNDES, se posicionando entre as principais bandeiras do país, e conta, atualmente, com 4 instituições financeiras emissoras no país.



Publicidade