Cooperativas de crédito, com melhor desempenho, são alternativas para as Micro e Pequenas Empresas

Publicado em: 28 julho - 2020

Leia todas


Sicoob e Sicredi estão à frente de instituições financeiras públicas e privadas

Diversos estudos realizados pelo Sebrae mostram que o maior obstáculo enfrentado pelos empreendedores é a busca de crédito. Devido ao coronavírus, muitos empreendedores estão buscando manter o equilíbrio financeiro de suas micro e pequenas empresas.

Na última pesquisa feita pela instituição apontou que 57% dos pequenos negócios que tentaram conseguir o empréstimo não conseguiram. Na contramão 25% deles aguardavam resposta e apenas 18% tiveram o pedido atendido. Com isso, as cooperativas de crédito têm se revelado uma alternativa para obtenção dos recursos tão necessários à manutenção das MPE.

Sebrae identificou que cooperativas como Sicoob e Sicredi, tiveram uma taxa de sucesso dos pedidos de empréstimos. Elas dispararam na frente da Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander.

O Sicoob apresenta taxa de sucesso de 20% seguido pelo Sicredi com 17% de aprovações. Com os dados obtidos junto ao Sicredi, entre Janeiro e Maio deste ano, a concessão de crédito para os pequenos negócios foi de R$ 2,7 bilhões. Já no Sicoob houve um aumento de 27,7% na quantidade total de operações de crédito para o segmento.

As cooperativas oferecem toda a segurança nos processos e seguem as normas do Banco Central, com burocracia reduzida e juros menores.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, destaca que o suporte às cooperativas faz parte da agenda de trabalho do Sebrae. Segundo ele de 2008 até agora, o balanço soma 22 estados contemplados e cerca de 400 cooperativas participantes.

O que é e como funciona uma cooperativa de crédito?

Cooperativas de crédito são instituições financeiras de pessoas que buscam através da ajuda mútua, sem fins lucrativos, uma melhor administração de seus recursos financeiros.

Nas cooperativas o foco é o associado, diferente dos bancos tradicionais que o foco é o lucro. Todos na cooperativa têm os mesmo direitos, independente da quantidade de cotas que cada um possua.

Nelas não há conceito de lucros, mas de sobras, apuradas no fim de cada exercício anual e distribuídas proporcionalmente aos associados. Justamente por não possuírem fins lucrativos , esses resultados rateados são isentos de impostos.

Elas precisam obter uma determinada rentabilidade para manterem todos os seus custos e expandirem suas capacidades de atuação.

Porém as cooperativas também possuem obrigatoriedades para que possam operar. Fazem parte do Sistema Financeiro Nacional e são fiscalizadas pelo Banco Central, havendo auditorias externas fiscais.


Fonte: Portal Notícias Concursos


Notícias Relacionadas



Publicidade