MAPFRE realiza primeira semana do cooperativismo do mercado segurador

Publicado em: 12 julho - 2019

Leia todas


 A Coop Week contou com a presença dos principais especialistas do setor que, em 2018, movimentou R$ 1,5 bilhão em seguros gerais

A MAPFRE promoveu, na manhã do dia 11 de julho, a primeira semana voltada ao mercado de cooperativas organizada por uma seguradora, a Coop Week. E a MundoCoop esteve presente para contribuir com o crescimento do cooperativismo através do conhecimento. Com representantes de diversas regiões do país, o encontro propôs discussões em torno do movimento econômico que beneficia mais de 50 milhões de brasileiros de forma direta e indireta.

A companhia é líder absoluta na venda de seguros gerais por meio do canal de cooperativas, com 49% do mercado que teve um faturamento de R$ 1,5 bilhão em 2018.

De acordo com o diretor de Canais Cooperativas da MAPFRE, Tadeu Vieira, essa liderança é inerente à origem da empresa. “A MAPFRE tem mutualidade em seu nome, nasceu de uma cooperativa rural espanhola e trouxe essa essência para o Brasil, com presença no setor há quase 30 anos”, afirma.

Em sua apresentação, o autor do livro “Cooperativismo Financeiro – Virtudes e Oportunidades”, Ênio Meinen, destacou a importância social do movimento. “Em cerca de 10% dos municípios do país, as únicas instituições financeiras são cooperativas. Essas organizações chegam onde as grandes redes bancárias não alcançam, gerando renda e emprego, levando poder de compra e realizando sonhos de milhões de famílias.”

Já o diretor executivo de Produtos e Negócios do Sicredi, Cidmar Luís Stoffel, ressaltou em sua palestra a relevância do setor. “Se todas as cooperativas fossem um país, seriam a nona economia do mundo”, disse, lembrando que o Banco Central “incluiu à sua agenda de desafios a ampliação de 8% para 22% a fatia das cooperativas no Sistema Financeiro Nacional.”

Durante sua fala no evento, Marco Aurélio Almada, diretor-presidente do Bancoob, comentou sobre o futuro das cooperativas. “Nosso modelo de negócios já se provou resiliente a inúmeras dores e transformações digitais. No entanto, essa solidez não garantirá o eterno sucesso. É necessário voltar o olhar às inovações constantes, e estarmos abertos às mudanças, principalmente no que diz respeito ao papel consultivo ao cooperado.”

Cooperativismo como ferramenta de desenvolvimento

Segundo dados divulgados neste mês pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), enquanto o país cresceu 5% em empregabilidade entre 2010 e 2018, o cooperativismo expandiu em 18%. Em relação à geração de riqueza, R$ 7 bilhões foram recolhidos aos cofres públicos pelo setor, por meio de impostos e tributos, apenas em 2018. Também no ano passado, essas organizações injetaram mais de R$ 9 bilhões na economia com o pagamento de salários e outros benefícios destinados a colaboradores.


Fonte: cdn comunicação com adaptação da MundoCoop



Publicidade