Número de empresas inadimplentes no país cresce 8,40% em abril

Publicado em: 06 junho - 2018

Leia todas


número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedorescresceu 8,40em abril de 2018, ante o mesmo mês do ano passado. A alta foi puxada, principalmente pela região Sudeste, com crescimento do número de empresas inadimplentes de 15,20% na comparação anual. Nas demais regiões também houve crescimento, mas em patamares menores: 3,99% no Sul; 2,99% no Centro-Oeste; 2,16%no Nordeste e no Norte, 2,03%.
inadopj1

 

 

 

 

 

 

 

Os dados são do Indicador de Inadimplência da Pessoa Jurídica apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na comparação mensal, isto é, entre março e abril de 2018, o indicador cresceu 0,27%.

Número de empresas inadimplentes no país cresce 8,40% em abril (Foto: Divulgação)

Número de empresas inadimplentes no país cresce 8,40% em abril (Foto: Divulgação)

“Apesar da inadimplência ter crescido menos que no período mais agudo da crise, ainda há um aumento expressivo de empresas que não conseguem quitar suas dívidas. A expectativa é de que, com a retomada da atividade econômica, a situação financeira das empresasmelhore, reduzindo a inadimplência”, avalia a economista-chefe do SPC Brasil. Marcela Kawauti.

Dados regionais mostram ainda que a inadimplência entre empresas continua crescendo emquase todas as regiões do país, muito embora a taxas menores do que as observadas noauge da crise. Na comparação anual, isto é, entre abril de 2018 e o mesmo mês do ano anterior, o volume de dívidas atrasadas de pessoas jurídicas teve um aumento de 7,14%.No Sudeste, o avanço de 14,38% ficou bem acima da média nacional. Na sequência aparecem as regiões Sul, que registrou avanço de 3,10% na mesma base de comparação, Centro-Oeste (1,34%), Norte (1,09%) e Nordeste (0,70%).

Setor de serviços lidera aumento da inadimplência; em média cada empresa devedora possui duas dívidas registradas

Os dados do Indicador ainda mostram que serviços foi o setor credor que registrou maior crescimento da inadimplência, apresentando variação de 8,76%. Em seguida vem a indústria (7,28%) e o comércio (2,91%). Em termos de participação no total de dívidas, o ramo de serviços também lidera, em contrapartida de 69,61% das dívidas em atraso.Em segundo lugar está o comércio (16,97%), acompanhado da indústria (12,41%). Na média, cada empresa inadimplente possui duas dividas registradas no banco de devedores.

Recuperação de Crédito sobe 1,51% no acumulado dos 12 meses e aponta para um cenário mais otimista

número de empresas que conseguiu recuperar crédito no acumulado de um anoapresentou alta de 1,51%. Entre os meses de novembro de 2017 e março de 2018 houve recuos consecutivos na recuperação de crédito das empresas, quadro que foi revertido com o dado do último mês. A alta foi puxada pela região Sudeste, onde a recuperação de crédito cresceu 5,23% nos últimos 12 meses. O Nordeste também registrou crescimento de 0,38%. Por outro lado, as demais regiões apresentaram quedas. A mais acentuada foi observada no Sul (-4,61%), seguida do Norte (-2,40%) e Centro-Oeste (-1,75%).

inadipj2

 

 

 

 

 

 

 

 

O levantamento aponta ainda que do total de empresas que saíram do cadastro de devedores mediante pagamento, a maior parte (44,56%) atua no setor de comércio. Outras 41,61% são do setor de serviços e 9,81% estão no ramo da Indústria.

Metodologia

O Indicador de Inadimplência das Empresas sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação. Baixe material completo e a série histórica emhttps://www.spcbrasil.org.br/imprensa/indices-economicos



Publicidade