Agrishow 2017 – Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo marca presença em Ribeirão Preto


Destaque


Consolidada como a maior e mais importante feira do agronegócio da América Latina, a Agrishow – Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação chega à 24ª edição, reunindo cerca de 800 marcas e, de 1 a 5 de maio, deve atrair público da ordem de 150 mil pessoas, provenientes de mais de 70 países.

Durante os cinco dias do evento, a Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo marca presença com múltiplas realizações dos organismos que a compõe, como Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), Instituto Agronômico (IAC), Instituto Biológico e Instituto de Zootecnia (IZ).

Além disso, no dia 3 de maio, o diretor-geral do Instituto Biológico (IB-Apta), Antonio Batista Filho, será homenageado pela Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo (Aeasp) com a medalha Fernando Costa, na categoria Pesquisa. Batista Filho é pesquisador do Instituto Biológico há 33 anos e atua, principalmente, na área de controle biológico de pragas.

Vitrines para pequenos produtores e ILPF

A Secretaria também montou em seu estande uma Vitrine Tecnológica para Pequenas Propriedades, onde estão expostos diversos tipos de plantas medicinais e aromáticas, como menta, cidreira e boldo, em vasos, assim como 16 espécies de Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) serão expostas pelo Polo Regional de Pindamonhangaba da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

A cachaça artesanal é ainda um dos focos da Apta e o processo de produção da bebida, que pode agregar renda aos pequenos produtores, está exposto neste espaço para demonstrar ao pequeno produtor, principalmente o de cana-de-açúcar, que é possível agregar valor na sua renda bruta com a produção de cachaça artesanal.

Projeto desenvolvido no Polo Regional de Presidente Prudente da Apta permite aumentar a produtividade de batata-doce. Alguns produtores chegam a produzir 17 toneladas por hectare devido à tecnologia de limpeza fitossanitária da planta.

Por conta do IZ está a Vitrine Tecnológica Sustentável, instalada no espaço da Agrishow, e que será utilizada para dias de campo e visitas de produtores o ano todo. Foi desenvolvida pelo Instituto para transferir tecnologia em pecuária de corte e recuperação de áreas degradadas, por meio do uso da Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, permitindo ao agricultor o conhecimento das novidades da pesquisa para melhorar sua produção.

Nesse espaço o IZ mostra os projetos em desenvolvimento para Integração-Lavoura-Pecuária (ILP) e de Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), voltados à produção animal de corte e de leite.

Apta:  cogumelos e maracujá o ignored

Tecnologia que aumenta em 40% os lucros dos produtores de cogumelos está sendo apresentada pela Apta. O trabalho realizado no interior paulista permitiu que o valor da produção dos fungicultores saltasse de R$ 0,50 a R$ 0,85 por quilo de cogumelos, para R$ 2,80 a R$ 5, pelo mesmo volume. Durante a Agrishow, são apresentados o cultivo do Shimeji preto, Hering e Nameko em garrafas, e o cultivo convencional de blocos de Champion de Paris, principalmente na fase de semente, colonização e produção dos fungos, assim como sacos de shimeji branco, outra maneira de produção, na qual o composto é colocado em um saco cheio de furos, pelos quais saem os cogumelos.

Mudas altas de maracujá, que medem 1,6m, aproximadamente, também são destaque no estande. A tecnologia – que contribui para evitar a contaminação das plantas pelo Cowpea aphid-borne mosaic vírus (CABMV) e produzir a fruta nos meses de dezembro a março, quando o mercado apresenta seus melhores preços – consiste na produção das mudas de maracujá de maneira protegida, em estufas, o que permite o porte alto por ocasião do plantio.

Instituto Biológico – O uso do controle biológico na cigarrinha-de-raiz na cana-de-açúcar, mosca-branca na soja e ácaro-rajado em morangos e flores ornamentais é o foco da participação do Instituto Biológico (IB-Apta), que apresenta tecnologias capazes de reduzir ou até mesmo eliminar o uso de defensivos agrícolas para o controle das pragas. Também expõe fungos, nematoides e ácaros usados no controle biológico e apresentará vídeos sobre o uso deles nas propriedades.

As pesquisas do IB na área têm forte contribuição para a redução do impacto ambiental, diminuição dos custos de produção e melhoria social, por colaborarem para, respectivamente, reduzir o uso de agroquímicos e a infestação de pragas e patógenos e promover a proteção da saúde do agricultor.

Cati: publicações, cursos, simulador de erosão e fossa biodigestor

Na Agrishow 2017, estarão à venda vários títulos entre boletins e manuais técnicos, além de instruções práticas sobre diversas culturas e seus manejos (tomate, leite, carne suína, alimentos orgânicos, adubação verde, apicultura, goiaba, cebola e morango) elaborados pela equipe da Cati e parceiros. O visitante da Feira também pode levar para casa gratuitamente materiais impressos como folders, volantes, receitas e a Revista Casa da Agricultura.

A equipe do Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes (DSMM), da Cati, também responderá por cursos diversos, a exemplo de sementes de milho “AL Avaré” (com maior teor produtivo, arquitetura de planta mais moderna, inserção de espiga homogênea), “AL Piratininga” (material para silagem e grãos), “AL Bandeirante” (melhor de raiz, sendo indicada para áreas de pastagem degradada e outros com nível de investimento de médio a baixo), e o “Cativerde” (variedade para milho verde), que será distribuído aos visitantes que quiserem experimentar um milho fresquinho e saboroso. Será demonstrada uma linha de classificação de sementes, com mesa densimétrica e elevador de sementes, que funcionará de verdade. Também será apresentado o tratamento de sementes de forma natural, com terra diatomácea.

Com o objetivo de aproximar ainda mais os produtores e visitantes da realidade das ações realizadas pelo laboratório do DSMM, está sendo demonstrada a atuação de germinadores e um trabalho de produção de matriz de morango realizado pelo Núcleo de Tietê.

Outra novidade levada pelo DSMM são os minicursos sobre “Produção de Mudas Frutíferas” e “Micropropagação de morangueiro” oferecidos diariamente e de forma gratuita a estudantes, produtores rurais e demais visitantes.

Simulador de erosão e um modelo de fossa biodigestor da Cati também estão expostos

O simulador de erosão – iniciativa da Cati Regional Jaboticabal – demonstra o que acontece nos solos com e sem cobertura vegetal, quando a chuva cai. Processos de erosão, assoreamento e alimentação do lençol freático são algumas ações que poderão ser visualizadas. Já na fossa biodigestora será possível conhecer seu funcionamento e a forma de tratar o esgoto sanitário de uma residência rural.

A fossa séptica, modelo Embrapa, realiza a decomposição anaeróbica da matéria orgânica por bactérias que a transforma em biogás e efluente estabilizado e sem odores. Elimina elementos patogênicos existentes nas fezes, devido principalmente à variação de temperatura.

IAC: lançamento de vários cultivares o ignored

Durante a Agrishow, o IAC lança a cultivar IAC OL5 de amendoim, que é alto oleico, com grãos com 70% a 80% de ácido oleico, característica que garante maior tempo de prateleira ao produto, sem perder o sabor e que contribui para reduzir a taxa de triglicérides e aumentar o bom colesterol.

Também serão expostas outras quatro cultivares de amendoim desenvolvidas pelo Instituto — a IAC OL 3, IAC OL 4, IAC 505 e IAC 503, cujas sementes vêm sendo transferidas ao setor, em parceria com empresas produtoras de sementes que apoiam o Programa IAC de Amendoim.

Também faz a entrega, a cinco agricultores, do primeiro pacote de “pré-brotado IAC” de cultivares de cana-de-açúcar, resultante do projeto que objetiva compartilhar a produção e validar o Projeto Produção Integrada de Mudas Pré-Brotadas, em que o agricultor participa ativamente do processo e tem apoio da Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba (Socicana) e da Cooperativa Agroindustrial (Coplana). Pelo projeto, o IAC faz a etapa de brotação da muda, considerada a mais crítica, oferecendo o material pré-brotado ao agricultor, que fará a aclimatação 1 e 2, dentro da propriedade, e finalizará o MPB.

Duas cultivares de feijão tipo gourmet e uma do tipo preto estão sedo lançadas na Agrishow 2017: a IAC Nuance de grãos rajados tipo Cramberry, que é a primeira no Brasil com registro no Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); e a cultivar IAC Tigre, que apresenta grãos rajados tipo Pinto Beans, um tipo americanizado, consumido no México e na Europa.

Destaque, ainda, para uma nova cultivar de sorgo de porte baixo destinado principalmente para a produção de vassouras, que se diferencia pelo porte baixo e maior produtividade de palha, que é 10% superior à de outros materiais, como as cultivares de porte alto Tietê e Saltinho. A nova cultivar também possui palha de excelente qualidade e resistência ao acamamento.

IZ: ovinos, bovinos e parceria

O IZ está em dois estandes, um com o Programa de Seleção e Produção Intensiva de Ovinos e o outro no Caminho do Boi com a Vitrine de Tecnologia Sustentável para divulgar o sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), parceria da Rede de Fomento ILPF e Embrapa Meio Ambiente, além de pesquisas em melhoramento genético de bovinos de corte. A iniciativa mostra os resultados que as tecnologias geram na cadeia de produção da carne.

No Caminho do Boi ­– espaço projetado pela Beckhauser, organizado pelo Terraviva Eventos e instalado na Agrishow – é apresentada, na prática, a integração dos elos da cadeia da carne, e dentre os elos está o uso de tecnologias como o melhoramento genético que irá gerar maior produtividade com sustentabilidade Lá, o IZ está com pesquisadores que falam sobre as pesquisas e os resultados alcançados com melhoramento genético de bovinos e da Vitrine Tecnológica, abrindo espaço para novas parcerias.

O IZ também está disponível para estabelecer parcerias público-privada para desenvolvimento da Ciência e Tecnologia aplicadas às atividades agroindustriais, englobando desde a pesquisa experimental até a pesquisa aplicada voltada para a industrialização da produção agropecuária.

Entre os destaque, está o Programa de Melhoramento Genético com o objetivo de aumentar a produção de carne por animal e diminuir a idade de abate; e as tecnologias em criação de ovinos (ovelhas e cordeiros) que proporcionaram aumentos nas taxas de lotação, no ganho de peso pré e pós desmame, na redução da idade do abate, quando comparados aos sistemas tradicionais de criação, que geram incrementos na rentabilidade econômica da atividade, o que proporciona um aumento da fixação da atividade e do homem no campo.

*A MundoCoop esteve na Agrishow 2017 a convite dos organizadores.



Publicidade