Aneel autoriza Castrolanda a comercializar energia

Publicado em: 11 agosto - 2019

Leia todas


Investimento da cooperativa foi de R$100 mil, com expectativa de recuperação no primeiro mês após o início efetivo das atividadesFoto: Arquivo Castrolanda

A Castrolanda Cooperativa Agroindustrial recebeu a autorização da Agência Nacional de Energia Elértrica (Aneel) para atuar como agente comercializadora na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). As atividades de controle e venda da energia serão feitas pela Engloba Comercializadora de Energia, unidade da Castrolanda transformada para o setor. 

O investimento da cooperativa foi de R$100 mil, com expectativa de recuperação no primeiro mês após o início efetivo das atividades. A empresa espera iniciar as atividades de comercialização de energia já no mês de setembro, atendendo clientes de alta tensão como empresas, outras comercializadoras, geradoras e consumidores livres com demanda acima de 3 megawats. No futuro, a empresa ainda espera conseguir entrar no mercado de livre de baixa tensão, podendo fornecer energia para residenciais e pequenos comércios, além dos cooperados. 

Para atender a demanda da energética da Castrolanda a empresa compra 30 Mw, que é distribuída entre as unidades da cooperativa, outros 40 Mw serão adquiridos para serem comercializados entre os 25 clientes que já possuem contrato com a Engloba.  

Agora a empresa trabalha para atender aos dispositivos legais do setor, para poder utilizar os sistemas de transmissão e distribuição já existentes no mercado, conforme explica Vinicius Danieli Fritsch, gerente de negócios de Energia da Castrolanda. “É bom destacar que nosso trabalho se intensifica nos próximos anos para que, dentro de 36 ou 48 meses, estejamos comercializando pelo menos 1 Gw/mês, tentando, assim, figurar da lista das 25 maiores comercializadoras do Brasil”, afirma.  

Vinicius destaca que iniciativas semelhantes já acontecem em outros países, e que o livre mercado de energia é um mercado novo e que interessa à Castrolanda no futuro. “Observando mercado mais maduros como Alemanha, Holanda, Portugal e EUA onde todos os consumidores podem comprar energia livremente, vemos que o Brasil ainda tem muito a evoluir nesse mercado e que em um futuro breve podemos ter a expansão do mercado livre de energia para todos os consumidores. Nesse cenário a Engloba poderá fornecer energia a preços competitivos para a cooperativa, cooperados e colaboradores”, explica. 


Fonte: Sistema Ocepar com adaptação da MundoCoop



Publicidade