O cooperativismo enxerga na humanização a melhor oportunidade de crescimento

Publicado em: 14 agosto - 2019

Leia todas


Nos últimos anos, as cooperativas de crédito cresceram a taxas exorbitantes, a um ritmo superior ao dos grandes bancos. Se operassem juntas, as quatro maiores cooperativas de crédito no Brasil, seriam o sexto maior banco do país. Lucro é uma palavra ausente no vocabulário do cooperativismo, o termo é substituído pela palavra “sobras” que são rateadas no fim do ano entre os cooperados, elas são consideradas um grande atrativo do sistema. E sempre ganha mais quem participa do grupo, entregando, por exemplo, a maior parte de sua produção à cooperativa.

No geral, é difícil entender como um banco que aceita todo mundo, independente da renda, empresta dinheiro a rodo, cobra juros menores e diz que não liga para lucro, tem solidez financeira para operar. “As pessoas desconhecem nosso modelo”, diz Cidmar Luís Stoffel, diretor do Sicredi.

Explicar a lógica do cooperativismo, e seu sistema de governança, não é mesmo tarefa simples, o setor tem diferenciais competitivos que os bancos convencionais nunca conseguirão ter, um exemplo é o indicador de lealdade que define o quanto um cliente é capaz de sugerir o banco a outras pessoas.

O potencial de crescimento das cooperativas em geral, acreditam os gestores do sistema, está longe de se esgotar. Entre as frequentes inovações tecnológicas que vem adentrando o mundo e mudando a forma de viver em sociedade, o surgimento de questões em torno da preocupação com a manutenção do bem-estar coletivo se torna inevitável, reafirmando conceitos primordiais que sempre existiram, mas nunca foram tão necessários. É esse o ponto que confere ao cooperativismo uma força única no mercado e um enorme diferencial a ser explorado

A vez da humanização

Baseado no princípio do compartilhamento, é através do cooperativismo que a humanização pode ser vista e assegurada em todos os setores da sociedade. Se tornando, além de um modelo de gestão, uma doutrina que visa a renovação social por meio da cooperação.

Independentemente do seu ramo, o cooperativismo consegue mostrar na prática a importância de ter as pessoas como o centro de uma estrutura socioeconômica, promovendo a coletividade, gestão democrática e o desenvolvimento sustentável de comunidades.

Pensando nisso, o Sicoob Integrado, que tem sede em Pato Branco (PR), expandiu sua área de atuação para o estado de São Paulo e em breve atenderá também seis cidades do interior paulista. Em um processo conjunto, as equipes que integram as novas agências foram formadas e os gerentes que representam as unidades foram definidos. O grupo formado por 11 pessoas esteve na Unidade Administrativa da cooperativa para um treinamento de integração ao sistema. Eles conheceram a trajetória, os números da singular e também foram apresentados ao propósito do sistema, que é “humanizar as relações financeiras”.

Para Alexandre Donizete Trevisan, que irá atuar como gerente na agência de Itatiba, foi uma semana de grandes descobertas. “Não tenho palavras para descrever tanto carinho, atenção e cuidado dispensados a nós. Tenho certeza que o Sicoob será imbatível no estado”, conta ele.

Segundo o gerente comercial da Unidade Administrativa do Sicoob Integrado, Laudier Sinhorin, a semana dedicada aos colaboradores de São Paulo foi um momento de reflexão. “Nos fez pensar sobre tudo o que já realizamos e tudo o que ainda será construído. Duas palavras definem meu sentimento: orgulho e gratidão”, afirma.

Uma peça fundamental na estratégia de crescimento e propósito do cooperativismo é humanizar as relações financeiras e expandir sua atuação geográfica, chegando em comunidades onde a maioria dos bancos privados nem pensa em estar presente. Esse é objetivo do cooperativismo, alavancar e melhorar não só para o cooperado como para toda a comunidade onde está presente.

“Todos os municípios que tem uma cooperativa de crédito tem um índice de desenvolvimento humano muito superior aquelas que não tem, pois a gente desenvolve a comunidade, a gente vive a comunidade”, diz Cidmar do Sicredi.

O cooperativismo é a inovação através de um conceito já enraizado no ser humano, desde a formação da sociedade até todo seu processo de evolução. Não existe futuro sem a humanidade e a cooperação é o caminho.


Redação MundoCoop



Publicidade