Totvs inaugura Espaço de Experiências Sensacionais para o Supply Chain


Destaque


Espaço de Experiências Sensacionais. Esse é o novo espaço na sede da Totvs, na capital paulista, um ambiente totalmente visual, com mesa interativa, uma telatouchde 70 polegadas, que retrata a “Cidade Totvs” em 3D, com simulações gráficas, vídeos e demos de todos os setores em que a companhia atua. Juntos, esses equipamentos permitem que as soluções Totvs construam cenários reais para demonstrar muito do que a tecnologia é capaz de proporcionar para diferentes segmentos. São 145 m², compartilhados pelas áreas de Supply Chain (abrangendo Agroindústria, Manufatura e Logística), Consumer (entre Moda, Food services, Supermercado e Empório), Healthcare (Saúde) e Professional Services (que inclui Educação, Construção&Projetos, Hospitality, Serviços e Jurídico). Toda jornada ainda passa por uma mesa.

Inaugurado em 29 de novembro, o espaço – como explica Gustavo Bastos, vice-presidente de Supply Chain da Totvs – tem como meta tangibilizar experiências e situações reais que os clientes têm com nossas soluções, empoderando-o via transformação digital. “Muitos falam sobre experiências de uso, mas, agora, a Totvs consolida um espaço único e totalmente diferenciado, materializando todo o seu discurso de transformação digital, para que as inovações tecnológicas possam ser vivenciadas na prática. Pensamos o ambiente com muito cuidado, para demonstrar a abrangência de atendimento da companhia e a forma como as áreas se complementam. Agora, as empresas podem ver e testar, realmente, todos os benefícios desses avanços para os negócios”.

O setor de Supply Chain ficou com  31m² e engloba o agronegócio – com tecnologias voltadas a conceitos de coleta de dados no campo através de controle de pragas e doenças, gestão em tempo real de máquinas e aplicações de insumos, uso de planejamento estratégico e gestão através do uso de mapas e indicadores, entre outras ferramentas para a prática da Agricultura Digital – e a Manufatura Avançada, inclusive com demonstração da fabricação de um produto real, em impressora 3D, com a interação de um robô colaborativo, que auxilia os processos na esteira de montagem – tudo integrado a monitores, que mostram a ordem de produção em tempo real, com controle e automação do chão de fábrica. O circuito é complementado pela Logística 4.0, em que são demonstrados processos de expedição e carregamento por meio de coletores de dados, além dos fluxos de recebimento e armazenamento – tudo via rádio frequência e 100% automatizado. Também será possível ver, na prática, como utilizar a tecnologia 3D para fazer o melhor arranjo de cargas para as viagens, pensando na fragilidade dos produtos e rotas de entrega.

Intermediação cooperativa – Nesse cenário, Fabio Girardi, diretor do segmento de Agroindústria da Totvs, enxerga possibilidades de negócios para as cooperativas. “Os produtores, na ponta, precisam de gestão para aumentar seus ganhos em todos os aspectos. A cooperativa pode entregar gestão aos cooperados com a ferramenta Totvs, oferecendo-a como serviço e com ganhos para os cooperados, tais como qualidade e produtividade, e para a própria cooperativa, que pode melhor organizar-se para a safra. Além de fornecer a solução, a Totvs capacitaria um time da cooperativa como multiplicadores, que podem ser os próprios técnicos agrícolas”, resume, colocando-se à disposição das cooperativas para o detalhamento e a construção de um projeto efetivo.

Gestão em linha – O foco das soluções desenvolvidas pela Totvs é a construção de um modelo de gestão específico para promover maior produtividade nas empresas dos diversos mercados. No caso do agronegócio, Girardi vê ganhos significativos com a aplicação de uma gestão em linha, metodologia que contribui para o aumento da produtividade, tornando real o conceito de “fazer mais com o mesmo”, como resposta à inter-relação entre a captura de dados sobre a produção e a análise por meio de algoritmos da Inteligência Artificial.

“Máquinas e tecnologias geram dados o tempo todo, mas fazer disso algo útil para o negócio é o que fará a diferença na produtividade. É aqui que entra o modelo de gestão em linha, que utiliza as informações – no momento em que elas acontecem – para a tomada de decisões. A base deste conceito é uma gestão próxima da operação, para que seja possível ajustar desvios ou prevenir transtornos maiores, sempre comparando a execução ao planejamento. Quanto mais rápido consegue-se ver o comportamento das atividades, mais prontamente pode-se ter uma ação corretiva para sair de padrões errados. Por exemplo, se um trator apresentar um problema no uso de combustível fora do período de manutenção, isso só será percebido se um software apontar que há inconformidades no que foi planejado para o gasto do veículo. Com esse indicador, o erro pode ser corrigido antes que se prolongue e prejudique o orçamento”, explica Girardi, fortalecendo a necessidade de visão holística e integrada de todas as atividades, para análises mais estratégicas para os negócios.

Como exemplo, o diretor do segmento de Agroindústria cita benefícios obtidos com informações de janelas de plantio. “Com dados de emergência da plantação (quando ela rompe a terra), clima e fitossanidade, consegue-se ter a previsibilidade da produtividade da lavoura. Considerando os dados climatológicos, é possível determinar os estágios da planta e como deverá ser o controle fitossanitário. Nessa fase, unimos a predição da aplicação de insumos aos registros do que já foi utilizado, para evitar, ao máximo, falhas – lembrando que este é um processo dispendioso da produção e que, inclusive, precisa estar integrado à área de custos. Praticar a agricultura de precisão é um diferencial para a saúde da lavoura, pois, em dois ou três dias, o nível de infestação pode sair do controle”, comenta. Esses dados são levados em conta na demonstração realizada no Espaço de Experiências Sensacionais inaugurado.

“Claro que ainda há muito espaço durante essa fase transacional, até que um modelo completo baseado em inteligência artificial esteja em prática. Enquanto isso, é possível utilizar recursos de analytics para trabalhar os dados de uma melhor maneira – por meio de índices consolidados em gráficos, para facilitar o entendimento de uma série de correlações entre áreas”, comenta Girardi, lembrando que “o caminho do aumento da produtividade no agronegócio, certamente, passa pela forma como os dados são tratados. A gestão em linha vem para colocar a tomada de decisão ao mesmo passo em que a operação acontece, no menor tempo possível e com prontidão de ações, para que os desvios não prejudiquem o percurso já planejado”.

Conceitos abordados no Espaço de Experiências Sensacionais Totvs de Supply Chain

Agroindústria: A jornada tem início em um ciclo completo do agronegócio: do planejamento da produção, passando pelos processos práticos, com a gestão de atividades e recursos, às inovadoras formas de se realizar o controle fitossanitário, até chegar à logística e recepção da matéria-prima, com foco na eficiência e produtividade, além do beneficiamento e manutenção industrial. Para o circuito, haverá tecnologias de projeções interativas, demonstrando todo o centro de operações agrícolas e, ainda, o uso de drones para a análise de imagens de pragas e doenças no campo. Também será possível aplicar a IoT (Internet das Coisas) no campo, para diferentes controles de cenografia, como umidade da terra, irrigação e cultivo. Para finalizar, a companhia apresenta estudos com sua plataforma de Inteligência Artificial, a Carol, na Agroindústria com análises e recomendações para o negócio.

Manufatura: A mobilidade passa a ser fator decisivo para a produtividade do chão de fábrica, que leva tablets e dispositivos móveis para a fábrica. O planejamento avançado da produção também se torna um diferencial na Manufatura Avançada, pois, com variações de produtos, pequenos lotes e pedidos feitos diretamente pelo cliente final, essa área precisa ser mais ágil e eficiente. Além disso, elementos como: robô colaborativo, impressora 3D, esteira inteligente, sensores, leitores e antenas de RFID integrados a soluções de chão de fábrica e sistemas logísticos são fundamentais para criar um exemplo de produção em que a interação entre máquinas, pessoas e sistemas fique claro. Também será possível visualizar, de forma real, o uso das etiquetas de RFID para garantir a rastreabilidade dos produtos e controle sobre os processos.

Logística: Na Logística 4.0, todos os processos de recebimento e armazenagem são automatizados, inclusive no controle de pátios e portarias, e o coletor de dados por rádio frequência passa a ser protagonista nas atividades de conferência. Será apresentada a solução de Cockpit Comercial, que inova na gestão do relacionamento com o cliente, com foco na área comercial – é possível ter uma visão 360º do cliente, desde a geração da demanda, prospecção, planejamento estratégico, geração da venda, até a análise de desempenho dos vendedores. O Cockpit Logístico, por sua vez, permite uma visão 3D da carga, para o melhor arranjo das mercadorias, de acordo com a fragilidade e rota de entrega. Também será demonstrada a aplicação SmartAnalytics, que consolida informações da empresa em dashboards dinâmicos e intuitivos, 100% na nuvem e, por isso, à disposição do gestor logístico em qualquer lugar e hora.



Publicidade