As cooperativas são organizações autônomas, controladas por seus membros, e nada deve mudar isso.

Publicado em: 31 agosto - 2018

Leia todas


 

Em 1963, em Guariba (SP), com a meta de adquirir insumos de forma organizada e em maior volume, a fim de conseguir melhores condições na negociação com fornecedores, 13 produtores de cana-de-açúcar fundaram a Coplana Cooperativa Agroindustrial. Com atuação fundamentada na doutrina cooperativista, a instituição se desenvolveu e hoje, além de contar com cerca de 1.200 cooperados, responde por praticamente 20% do amendoim exportado pelo Brasil. Confira a entrevista com José Antonio de Souza Rossato Jr., presidente da cooperativa.

A história e o sucesso da Coplana se construíram com boas e saudáveis parcerias com esferas públicas e privadas, no Brasil e no Exterior, isso proporciona aumento da competitividade da cooperativa nos negócios?

A autonomia e a independência são asseguradas pelos valores e também por sólido padrão de governança, que proporciona transparência nas ações e a comunicação clara e objetiva com todos os interessados, os stakeholders. Dentre estes, os cooperados são peça-chave nas decisões estratégicas da cooperativa. A organização do quadro social através dos núcleos de cooperados assegura a autonomia e o controle democrático dos nossos membros.

O trabalho dos núcleos de negócios da Coplana favorece a participação dos cooperados?

A despeito das importantes alianças estratégicas, principalmente no amendoim, o controle do negócio está nas mãos do cooperado, via Ato Cooperativo, em que as decisões são tomadas de forma democrática a fim de preservar a transparência nas ações.

Qual a relevância da cooperativa na vida dos seus membros?

O cooperado tem de sentir que existe um valor positivo em fazer parte da cooperativa. Ao mesmo tempo, a cooperativa deve ter certeza de que está gerando valor para o seu cooperado. Se este ambiente propositivo for construído, gerar resultados positivos e estiver lastreado por valores fundamentais como a transparência e a confiança, este possível assédio dos pares é mitigado. É fundamental que haja um alinhamento permanente e uma boa comunicação entre os cooperados e a liderança da cooperativa.

O livre e permanente acesso dos cooperados às lideranças da cooperativa é o caminho para que o associado desenvolva e mantenha o sentimento de que ele é o dono do negócio?

Neste sentido, é fundamental que as estratégias adotadas pela cooperativa estejam em consonância com os anseios dos cooperados.



Publicidade