Instituição focada no desenvolvimento da Agricultura Digital chega à América Latina


Entrevista


A AgGateway Global Network, entidade norte-americana que visa a desenvolver a Agricultura Digital, está chegando à América Latina. A organização está a cargo de José Alexandre Loyola, CEO na R2M – Ready2Market Consultoria e Capacitação. A primeira reunião foi realizada em 26 de novembro de 2017, em São Paulo (SP), com a presença de Rod Conner, responsável pelas áreas financeira, administrativa e operacional (CFOO).

Nesta entrevista exclusiva para MundoCoop, Loyola fala sobre a AgGateway, as conquistas e as metas. Confira!

O que é a AgGateway? Quem ela reúne?
A AgGateway é uma entidade, sem fins lucrativos, que nasceu nos EUA em 2005 com o objetivo de promover a Agricultura Digital ao redor do mundo. Ela reúne as várias empresas fabricantes e entidades ligadas ao Agronegócio no segmento de Máquinas e Equipamentos Agrícolas, Irrigação, Defensivos Agrícolas, Sementes, Fertilizantes, Traddings, Agricultura de Precisão, entre outros.

Quantos membros em quantos países?
Atualmente a AgGateway conta com mais de 200 membros associados espalhados pela América do Norte, Austrália, Europa, Ásia e, agora, aqui no Brasil, representando a América Latina.

Como são desenvolvidos os trabalhos da AgGateway?
São formados comitês e grupos de trabalhos com representantes de várias empresas com interesses em comum (membros da AgGateway), afim de se discutir os principais desafios e gargalos para se implementar o que eles chamam de eBusiness e a Econectividade em cada parte do mundo. Assim, prioriza-se os projetos mais importantes a serem desenvolvidos e implementados.

Quais as principais conquistas?
Já foram desenvolvidos neste modelo de colaboração mútua, ao longo dos últimos anos, vários projetos importantes, entre outros, como:

  • ADAPT (Agricultural Data Application Programming Toolkit): mais de 30 membros do AgGateway trabalharam juntos para desenvolver o ADAPT, um Kit de Ferramentas de Aplicação de Dados Agrícolas de código aberto ( Software Open Source) com o objetivo de criar ferramentas para a indústria tornar mais fácil e menos dispendioso o processo de troca de dados de operações de campo entre aplicativos de software de uma grande variedade de empresas e fornecedores.
  • SPADE (Standardized Precision Agriculture Data Exchange): este projeto está sendo conduzido na América do Norte por mais de 50 empresas ligadas a Agricultura visando implementar padrões de troca de dados estabelecidos para uma comunicação perfeita, entre equipamentos de frotas mistos e sistemas de informação de gerenciamento de fazenda na fazenda, bem como provedores de dados externos.
  • PAIL ( Precision Irrigation Through Data): A água é um recurso muito valioso, a irrigação requer grande volume deste recurso. Portanto o objetivo do projeto PAIL é fornecer um formato padrão de dado, que represente toda a indústria e permita o intercâmbio e uso de dados, para sistemas de gerenciamento de irrigação, atualmente armazenados em vários diferentes formatos proprietários. A capacidade de usarmos e analisarmos todos estes dados, promoverá certamente um processo de irrigação mais efetivo. Todas as principais empresas globais de irrigação estão participando, estando em fase final de conclusão.
  • CART (Commodity Automation for Rail and Truck ): Originada no Conselho de Grãos da AgGateway na América do Norte, o projeto CART procura expandir e implementar mensagens padronizadas dos padrões AgXML amplamente adotados para o transporte de grãos ferroviários e de caminhões. O escopo inclui conectar cargas de máquinas de campo para dimensionar os dados.

Quais os planos futuros?
Expandir mais unidades ao redor do mundo, alavancando o número de membros em cada região, afim de se promover uma para discussão local dos desafios, adaptando e implementando os projetos de acordo com as características e peculiaridades de cada região.

Como está evoluindo a presença da instituição no Brasil? 

Em parceria com a R2M Consultoria e Capacitação, firmada no final de 2016, estamos fornecendo o devido suporte e network para conseguir contatar os executivos responsáveis por esta área dentro das organizações e entidades, dos mais variados segmentos do Agronegócio, fazendo também palestras em eventos como este Fórum da AgTech, no sentido de conscientizar e divulgar a importância em se associar a esta entidade séria que já possui um histórico sólido e consistente de trabalho na promoção da Agricultura Digital. Estamos à disposição dos interessados.

Quais empresas estão envolvidas?
Entre outras, que ainda estão para confirmar a sua associação, já temos como membros na América Latina: AGCO, Basf, Case IH, John Deere, Mosaic e Netafim.

Como o cooperativismo contribui com a instituição?
No sentido de ajudar a identificar os principais gargalos e desafios junto aos seus cooperados, representando-os durante as reuniões que serão promovidas para se discutir este tema e quais temas serão priorizados.



Publicidade