Por que é importante promover a qualidade de vida no trabalho?

Publicado em: 09 Março - 2018

Leia todas


Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 62,1% dos brasileiros com 15 anos ou mais não praticaram qualquer esporte ou atividade física em 2015, ou seja, 100,5 milhões de pessoas, de um total de 161,8 milhões, nessa faixa etária não faziam nenhum tipo de exercício. Para mudar esse quadro são  necessárias  ações que promovam o bem-estar e a qualidade de vida dos colaboradores.

A psicóloga Joseane Freitas fala sobre os ganhos dos funcionários e das empresas com essas ações. Mestra em Educação pela UNICAMP e especialista em Desenvolvimento do Potencial Humano nas Organizações, pela PUCCAMP, ela possui certificação internacional ‘Professional & Self Coaching’, junto ao Instituto Brasileiro de Coaching – IBC. Integrante da Associação Brasileira de Orientação Profissional (ABOP) e da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH). Idealizadora e Diretora de Pesquisa & Desenvolvimento na PERFIX Consultoria Organizacional. (Principais Assuntos: Gestão de Saúde / Prevenção e Promoção à Saúde / Qualidade de Vida / Liderança / Carreira / Gestão de Pessoas / Avaliação de Potencial)

Confira!

Qual o benefício mais importante para os trabalhadores?

Segundo a Pesquisa dos Profissionais Brasileiros realizada pela Catho em 2014 o beneficio mais importante para 74,6% dos trabalhadores é a assistência médica, tendo em vista que passamos 60% de nossa vida produtiva no trabalho, e por isso, é importante que estejamos bem para desempenhar nossas tarefas e responsabilidades.

Que cuidados tomar na implantação de programas de promoção e prevenção à saúde nas empresas?

Dados de 2014, da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV), revelaram que a maioria das empresas brasileiras afirma ter programas de incentivo à prática de esporte, mas 70% de seus empregados são sedentários. No mesmo sentido, pesquisas sobre qualidade de vida mostram que 10% da população saudável das organizações migram todo ano para o grupo de alto risco quando não é cuidada. Ou seja, apesar de serem implantados programas de promoção e prevenção à saúde as empresas pecam na hora da escolha das atividades e inserção desses programas, ocasionando pouco resultados tanto para os colaboradores como para as empresas. Os gastos com saúde nas organizações representam a segunda maior despesa da área de RH, ficando atrás apenas da folha de pagamentos. Por isso, é importante saber como realizar bons investimentos na área, que tragam benefícios a todos.

Que doenças ocasionadas pelo trabalho são as principais quando o assunto é absenteísmo?

As doenças do trabalho referem-se a um conjunto de danos ou agravos que incidem sobre a saúde dos trabalhadores, causados, desencadeados ou agravados por fatores de risco presentes nos locais de trabalho. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgados em 2013, 2 milhões de pessoas morrem por ano por conta de doenças ocupacionais no mundo. De acordo com o ranking de auxílios-doença concedidos pelo INSS, a dor nas costas é a doença que mais afasta trabalhadores no Brasil por mais de 15 dias. Em 2016, 116.371 pessoas tiveram de se ausentar do emprego por, no mínimo, duas semanas em razão dessa enfermidade. O número representa 4,71% de todos os afastamentos. Nos últimos 4 anos, transtornos mentais e comportamentais, como altos níveis de estresse, foram a terceira maior causa de afastamento dos trabalhadores brasileiros. Mais de 17 mil casos de concessão do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez foram registrados entre 2012 e 2016 com este motivo. (Dados do Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade, divulgado parcialmente no último dia 26 pelo Governo Federal).

MAIS ENTREVISTAS

Seguro Rural: Cultura a ser universalizada
A CNA e os desafios de financiamento do agronegócio
Fortalecimento da comunicação e marketing do agronegócio: prioridade na nova gestão da ABMRA



Publicidade