TOP COOPERS: Rumo ao primeiro milhão

Publicado em: 14 janeiro - 2020

Leia todas


Cooperativas do Sistema Ailos iniciam 2020 com alta expectativa de crescimento, e veem na inovação tecnológica sua grande aliada

Dando continuidade a série especial, e exclusiva, de entrevistas com os presidentes das principais cooperativas de crédito do Brasil, o TOP COOPERS – Cooperativas de Créditoa MundoCoop conversou nessa semana com o presidente da Central Ailos, Moacir Krambeck.

Com atuação nos três estados do sul do País, o sistema Ailos soma 13 cooperativas de crédito espalhadas por mais de 70 cidades, e dispõe de cerca de 200 pontos de atendimento para se manter próximo a seus mais de 800 mil associados.

A MundoCoop ouviu a opinião do presidente sobre as perspectivas para o setor em 2020. Segundo Moacir, o objetivo é seguir em crescimento. A meta da instituição é chegar a 1 milhão de associados até o fim do próximo ano. E há mesmo muita gente para o cooperativismo de crédito conquistar. Segundo o Relatório de Cidadania Financeira do Banco Central, ao menos 14% da população brasileira em idade economicamente ativa não tem conta em instituições financeiras.

O presidente revela otimismo em relação ao setor com as baixas taxas de juros, inflação controlada. Krambeck destaca ainda os investimentos constantes em novas tecnologias. Recentemente, a instituição lançou um programa de inovação firmando parcerias com startups, com o objetivo de desenvolver e impulsionar produtos e serviços para oferecer novas experiências digitais aos cooperados.

Confira a entrevista na íntegra!

Que avaliação realiza sobre o setor de cooperativas de crédito em 2019, destacadamente a partir das alterações político-econômicas que estamos vivendo desde o início do ano?

As mudanças na política econômica de modo nenhum, acredito, afetaram as cooperativas até o presente momento. No entanto, no futuro, com certeza farão que elas se redesenhem, tendo em vista a possibilidade do Brasil chegar rapidamente a juros reais iguais a zero, já que poderemos ter no próximo ano a Selic em quatro proventos e a inflação no mesmo nível. Isso deve levar as cooperativas a outro patamar, para continuar a trazer os benefícios aos seus cooperados.                  

O que podemos esperar do setor de cooperativas de crédito, e em particular do Sistema Ailos para o próximo ano? Quais os desafios a vencer?

O sistema Ailos continuará a crescer com índices elevados, o planejamento estratégico está alinhado com propósito cooperativista e os colaboradores estão comprometidos com os objetivos. Acredito que o sistema Ailos terá avanços significativos, assim como todo o cooperativismo de crédito, tendo em vista as alterações da Lei complementar 130/09 [dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo], que possibilitará crescimento mais sustentável.   

É possível apontar oportunidades abertas para o setor? 

Acredito que há lugar para todos, especialmente ao cooperativismo, porque tem como foco as pessoas, ou seja, o cooperativismo promove inclusão às classes menos favorecidas para contribuir com a construção de um país – e mundo – mais justo, honesto, digno e transparente. 

Já convivemos com inteligência artificial, internet das coisas… De que maneira as transformações digitais contribuem e/ou desafiam o cooperativismo de crédito?

Acredito que, se bem planejada, a utilização da Inteligência Artificial pode contribuir ainda mais para a fidelização dos cooperados. As cooperativas continuarão a expandir sua rede, mesmo com avanço das operações digitais, mas as futuras instalações não serão as mesmas, como a vemos hoje, serão, acredito, pontos de referência, assim como vem ocorrendo nos países mais desenvolvidos, onde a digitalização das operações já existe há muito tempo. Vale registrar que para resistir a todos esses avanços, o cooperativismo de crédito obrigatoriamente deverá se unir em uma única plataforma de prestação de serviço, pois a pressão dos custos exigirá isso.

Apesar de grande parte das operações diárias serem feitas a distância, de forma digital, as cooperativas de crédito têm expandido suas agências físicas, não só nos pequenos, mas também em grandes municípios, indo até na contramão dos bancos. O que o Ailos planeja nesse sentido para os próximos anos?

O cooperativismo tem o propósito de alcance maior do que outras instituições financeiras. Ou seja, de estar onde outros não conseguem estar, pulverizando os serviços para contribuir com a cidadania financeira. E isso não somente nas pequenas cidades, mas também nas periferias das cidades maiores. O cooperativismo é para todos: grandes e pequenos, pessoas que preferem o presencial e também para aqueles que preferem o digital.

Os planos de expansão das cooperativas Ailos são ousados e contemplam a abertura de novos Postos de Atendimento. Em alguns casos, a estrutura muda, ou seja, as unidades são mais enxutas, por conta dos serviços disponíveis através do autoatendimento. Porém, é importante que o cooperado saiba que possui um local e pessoas com quem pode sempre contar!

Vale lembrar também que o cooperativismo tem como missão ser eficiente, eficaz como instituição financeira, e a partir daí proporcionar a felicidade de seus cooperados, espero que jamais se distancie desse propósito.


Por Nara Chiquetti – Redação MundoCoop



Publicidade