Documento da ABCR discute o futuro do modal rodoviário

Publicado em: 14 setembro - 2018

Leia todas


Marcelo Stachow (presidente da concessionária Tamoios), os economistas Daniel Keller, Pedro Bianchi e Claudio Frischtak, Ricardo Castanheira (vice presidente do grupo CCR) e David Diaz (presidente do grupo Arteris)

Em evento realizado ontem, 13 de setembro, a ABCR (Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias) apresentou suas propostas para o futuro do modal rodoviário brasileiro. A proposta, nomeada Novos Caminhos Para Concessões de Rodovias no Brasil, reúne a análise e recomendações de especialistas sobre o setor, considerando o cenário da infraestrutura em 2018. O evento de lançamento contou com a participação de representantes de poderes concedentes, parlamentares, órgãos de controle e concessionárias de rodovias e teve como objetivo alavancar a infraestrutura brasileira, por meio de recomendações direcionadas aos novos governantes.

Trazendo números e fatos que reforçam sua legitimidade, o Novos Caminhos tem como pilar mais de duas décadas de experiência da ABCR diante da malha rodoviária do País. O documento apresenta desafios a serem superados, acompanhado de uma lista de diretrizes que devem servir como subsídio para o desenvolvimento de políticas e programas em parceria com a iniciativa privada.

Durante o encontro, os executivos Tulio Abi-Saber, vice-presidente do Grupo Invepar, David Diaz, presidente do Grupo Arteris, Ricardo Castanheira, vice-presidente do Grupo CCR e José Cassaniga, diretor executivo de concessões rodoviárias da Ecorodovias, discursaram sobre as recomendações do setor privado para novas parcerias com o poder público. Segundo Cesar Borges, presidente da ABCR, a alternativa para o avanço da logística no País está no investimento externo. “O Brasil precisa voltar a crescer urgente, porém, de maneira consistente e sustentável, com o auxílio do setor privado, que segue avido para participar dessa retomada. Para isso, o programa de concessão de rodovias deve ser prioridade nacional.”

A análise é resultado do sucesso do modelo das concessões, que desde 1995, já investiu cerca de R$ 180 bilhões em melhorias e operação sob a gestão do setor privado, aumentando uma malha rodoviária que inicialmente era de 600 km e hoje atinge 20.264 km de extensão, sendo 9.235 km de estradas federais.

Para ter acesso ao sumário executivo, documento e vídeo do evento, clique aqui.

 

Fonte: ABCR, com  adaptação Redação MundoCoop



Publicidade