Iniciativas de sucesso na comunicação em libras fomentam a inclusão no Brasil

Publicado em: 07 junho - 2019

Leia todas


Quando dizemos que uma boa ideia pode mudar a vida das pessoas, muitas vezes falamos de forma indireta ou simbólica – entretanto, no caso do app Hand Talk, tal sentido é literal e direto. Trata-se de um aplicativo que traduz mensagens do português para Libras, a língua brasileira de sinais – incluindo e permitindo a comunicação de tantos deficientes visuais no Brasil. Simples e transformador, o Hand Talk foi premiado no Desafio Google de Impacto em Inteligência Artificial.

A seleção trouxe ao app um prêmio de 75o mil dólares (cerca de 3 milhões de reais), uma consultoria do Google e a inclusão do Hand Talk numa aceleradora de empresas. O propósito do aplicativo se encaixa perfeitamente no espírito do prêmio, que procura justamente organizações que criem soluções para os grandes problemas atuais. Todos os vencedores tratam de temas como saúde, economia, empoderamento, meio ambiente, educação e mais. 2062 empresas de 119 países se inscreveram para concorrer ao prêmio.

A empresa foi criada em 2012 por Ronaldo Tenório, que desenvolveu um avatar que pode ser adicionado em sites, e como um app para smartphones capaz de transformar o texto em português na linguagem de sinais. Hand Talk foi uma das 20 empresas selecionadas essa semana pelo Google – e o app pode ser baixado para iPhone ou Android gratuitamente.

Inclusão no cooperativismo

Promover a inclusão é um dos ideais do cooperativismo. O Sistema Ailos, além de fomentar o Escola Inclusiva, projeto que capacita pessoas com deficiência para o mercado de trabalho, também oferece curso de Libras aos seus colaboradores. A iniciativa, que começou em 2017, já qualificou mais de 80 profissionais que trabalham na Central Ailos e também nas Cooperativas filiadas ao Sistema. Para este ano, duas novas turmas tiveram início. Uma em abril e outra em maio, totalizando 60 inscritos. A iniciativa tem como objetivo facilitar a comunicação com funcionários e cooperados que possuem deficiência auditiva.

Atualmente, o quadro de colaboradores do Sistema Ailos conta com quatro pessoas surdas, entre elas Saulo Adriano Starauchek. Ele integra o time de endomarketing da Central há dois meses. Foi contratado logo após participar da última turma do projeto Escola Inclusiva, que se formou em dezembro do ano passado. Para acolhê-lo, a equipe realizou algumas mudanças, como a disposição das mesas para auxiliar na interação com o colaborador. O próximo passo é o curso de Libras.

Atualmente, o quadro de colaboradores do Sistema Ailos conta com quatro pessoas surdas, entre elas Saulo Adriano Starauchek. Ele integra o time de endomarketing da Central há dois meses. Foi contratado logo após participar da última turma do projeto Escola Inclusiva, que se formou em dezembro do ano passado. Para acolhê-lo, a equipe realizou algumas mudanças, como a disposição das mesas para auxiliar na interação com o colaborador. O próximo passo é o curso de Libras.

Para a analista de gestão de pessoas da Central Ailos, Denise Cassal, que faz parte da equipe de Saulo e também já fez o curso, a inclusão é benéfica não só para ele, como para todos os colegas. “É muito gratificante ver a alegria e a preocupação de cada colaborador em tornar o ambiente propício para ele. O aprendizado é mútuo e só nos faz crescer como profissionais e seres humanos”, destaca.

Ainda em 2019 há previsão de abrirem novas turmas do nível básico e também do nível intermediário. Qualquer colaborador que tenha interesse em aprender a Língua Brasileira de Sinais pode participar da capacitação. 

Iniciativa

A MundoCoop apoia e incentiva a inclusão, por isso, disponibiliza o conteúdo editorial da revista impressa em áudio narrado por um profissional, facilitando assim o acesso aos deficientes visuais. O objetivo é levar o conhecimento a toda e qualquer pessoa, fomentando e promovendo o cooperativismo brasileiro.

O material pode ser acessado pelo aplicativo MundoCoop ou, ainda, no site da revista.


Fonte: Hypeness/Melz assessoria com adaptação da MundoCoop



Publicidade