Custo de capital próprio para a realidade das cooperativas


Finanças


Na área das finanças, o custo de capital próprio se apresenta como um indicador com diversas utilidades. É, por exemplo, a taxa mínima de retorno requerida por investidores na hora de tomar uma decisão de investimento. Também costuma ser utilizado como taxa de desconto em projetos de avaliação de empresas.

Assim, espera-se que, para as cooperativas, o custo de capital próprio aponte o quanto a cooperativa deve recompensar seu associado pelo investimento realizado, assumindo papel importante para gestores, associados e interessados a fazer parte da cooperativa.

Porém, ao contrário das empresas de capital aberto, as cooperativas são organizações sem finalidade de lucro, podendo oferecer, como principal retorno aos seus associados, benefícios como serviços e políticas de preços favoráveis. Além disto, a quota apresenta pouca ou nenhuma variação em seu valor no decorrer do tempo. Isto transforma o cálculo do custo de capital próprio em um dos maiores desafios encontrados na área de finanças em cooperativas, uma vez que as principais técnicas de cálculo partem do lucro e da variação no preço das ações.

Neste ponto, o Obscoop propõe o cálculo do custo de capital próprio para cooperativas agropecuárias e de crédito brasileiras a partir de adaptações de modelos tradicionais para a realidade das cooperativas. O gráfico abaixo apresenta as médias para os dois tipos de cooperativas investigadas neste processo de adaptação.


É possível notar que as cooperativas agropecuárias apresentam um custo de capital próprio maior em todo o período, com variação destacada também. Isto pode ser explicado pelo crescimento do setor nos últimos anos, como apontado pelo Portal Brasil. Os produtores rurais encontram uma variedade maior de opções para compra e venda de sua produção e passam a exigir mais da cooperativa em suas operações.

Por sua vez, as cooperativas de crédito apresentaram estabilidade no período. Para os gestores, isto é um indício de que os cooperados esperam que as taxas favoráveis oferecidas pelas cooperativas de crédito se mantenham estáveis, sendo mais uma garantia ao tomar empréstimo e/ou realizar depósitos.



Publicidade