Sistemas de crédito crescem em ano de recessão


Finanças


Em 2016, o cooperativismo de crédito se destacou tanto em evolução quanto em faturamento, número de associados e de funcionários, patrimônio, carteira de crédito, depósitos, seguros e demais serviços, entre outros.

O Sicoob ES, por exemplo, registrou, em 2016, alta de 7,9% em sua carteira de crédito em relação ao exercício anterior. O período foi encerrado com o montante de R$ 3,5 bilhões, o que representa um aumento de R$ 253,4 milhões frente a 2015.

O volume de depósitos foi o indicador que mais avançou durante o ano, chegando a R$ 2,9 bilhões, uma elevação de 28,5%. Nos depósitos à vista, a expansão foi de 18%, e nos depósitos a prazo, houve crescimento de 32%. A instituição encerrou o ano com a carteira de crédito rural em R$ 801,5 milhões. O valor ficou 1,2% menor do que o de 2015 devido às renegociações das dívidas provenientes dessa modalidade, acima da casa dos R$ 151,2 milhões.

O Sicoob ES conquistou 28,6 mil novos sócios em 2016 e concluiu o exercício com 205,8 mil cooperados. Houve cerca de 2,4 mil adesões por mês, entre pessoas físicas e jurídicas, um aumento de 16,6% em relação a 2015. Além disso, na contramão dos demais setores da economia, o Sicoob ES elevou em 7% a sua equipe, contando com 1.151 funcionários no fechamento do exercício. Além disso, a instituição financeira cooperativa aumentou em 10% o seu quadro de empregos indiretos, alcançando 372 estagiários, aprendizes e profissionais terceirizados.

Cecred
O Sistema Cecred também entregou resultados expressivos aos seus mais de 540 mil cooperados, tendo finalizado o período com um crescimento 16% superior ao ano anterior, com R$ 182,5 milhões em sobras totais e um volume de ativos de 5,2 bilhões, um acréscimo de 24% em comparação a 2015. Outro número que confirma o progresso do Sistema Cecred em 2016 tem relação com a evolução nos depósitos totais, na casa dos 24%, atingindo a marca de R$ 3,7 bilhões.

Seguros e Previdência
A Quanta Previdência – braço do Sistema Unicred – começou 2017 comemorando a marca dos R$ 2 bilhões em recursos administrados através de seus planos, que reúnem mais de 57 mil participantes e 45 Instituidores em todo o País. Criada em 2004 e nacionalizada em 2012, a Quanta chega a essa conquista de maneira histórica, reafirmando seu destaque no cenário nacional, no qual seu Plano Precaver foi reconhecido como o maior plano previdenciário instituído do Brasil.

De 2013 a 2016, a Quanta cresceu 179% (37% em 2016). No ano passado, a rentabilidade do Plano Precaver atingiu 103% do seu índice de referência (IPCA + 4% ao ano), e em 2016, alcançou 118% do índice de referência. Outra grande demonstração de evolução está no montante de R$ 126 milhões em portabilidades de entrada, apenas no ano passado, reforçando a aceleração do crescimento da Entidade ao longo do tempo.

Outra organização que comemora os resultados é o Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, que encerrou 2016 com lucro líquido de R$ 2 bi e total em prêmios emitidos de R$ 15,8 bilhões, mantendo a liderança no ranking entre as empresas do setor de seguros nos segmentos em que opera. O excelente desempenho fica por conta dos negócios no segmento agrícola, que atualmente representa 17,3% de todos os negócios do Grupo. O índice combinado do Grupo Segurador foi de 88,7%, 0,9 ponto percentual acima do observado em 2015. As despesas administrativas foram de 8,0%, 0,3 ponto percentual melhor em relação a 2015.

Mesmo assim, o resultado sofreu uma retração de 7,8 % em relação a 2015, principalmente pelo incremento da sinistralidade nas carteiras de automóvel e transporte e pelo decréscimo das vendas do prestamista e automóvel. Outro ponto positivo é que apesar de o desempenho ter-se situado pouco abaixo ao observado em 2015, o grupo segurador encontra-se como uma das empresas do setor com melhor taxa de retorno sobre o patrimônio, de 36,5% (41,4% em 2015).



Publicidade