O importante é a comunicação

Publicado em: 30 dezembro - 2019

Leia todas


Tanto as cooperativas reconhecidas nacionalmente como aquelas mais focadas no agro estão engajadas neste importante movimento para intensificar a comunicação e reverberar os valores do cooperativismo para toda sociedade brasileira

Nos últimos cinco anos a sociedade brasileira começou a entender e valorizar mais o cooperativismo nacional por iniciativa de grandes co- operativas que resolveram mostrar a cara e apresentar publicamente os benefícios deste sistema. O movimento começou com as cooperativas de crédito e vem se expandindo para alimentos, saúde e outras mais. Afinal de contas, com toda certeza, quando qualquer brasileiro se alimenta, se move, se veste, investe ou cuida da saúde, com toda certeza, em algum momento, alguma cooperativa deu valiosa colaboração para isso acontecer.

Ainda é preciso intensificar muito mais a comunicação. Fora do sistema, que compreende cooperados e cooperativas, além de uma imensa rede de colaboradores e fornecedores, muitos brasileiros ainda acham que cooperativa só existe no meio rural. Mas o cooperativismo vai muito além. A Uni- med, por exemplo, reúne 344 cooperativas que atendem cerca de 18 milhões de beneficiários em 84% do território nacional.

De acordo com Darival Bringel de Olinda, diretor de Desenvolvimento de Mercado da Unimed do Brasil, representante institucional do Sistema Uni- med, “essa capilaridade exige uma estrutura de comunicação robusta, capaz de atender todas as demandas com agilidade e ao mesmo tempo transmitindo os nossos valores”. Continua de Olinda, “afinal, a Unimed não é apenas um plano de saúde, mas sim um sistema cooperativista constituído por médicos para os médicos e para a sociedade, atuando junto e em prol das comunidades nas quais as Unimeds estão inseridas, promovendo ações que incentivam hábitos saudáveis, envoltas pelo nosso Jeito de Cuidar”.

Com ações efetivas de comunicação em diversas frentes, até por conta de seu ramo de atividade, a cooperativa de crédito Sicredi já se tornou bem conhecida dos brasileiros. Diz Rogerio Machado, diretor executivo da Sicredi União PR/SP, “a comunicação é essencial, pois o cooperativismo demanda uma explicação profunda de como funciona, qual seu propósito e diferenciais. Por isso tudo dentro de uma cooperativa precisa ser comunicado, tanto para seus associados como para a comunidade em geral. É por meio da comunicação que levamos conhecimento para esses públicos”.

Como Confederação e seu papel institucional, a Unimed do Brasil patrocina eventos internos e externos que tenham relevância e abrangência nacional e sejam convergentes com os propósitos da marca, a promoção do cuidado com a saúde das pessoas e o investimento em inovação. “O Movimento Mude1Hábito é atualmente nosso carro-chefe em comunicação com a sociedade, pois norteia praticamente todos os nossos esforços de divulgação e de diálogo com as comunidades. Ele se volta a criar uma onda de cuidado em todo o País, a partir do incentivo à melhoria da qualidade de vida com a mudança de pequenos hábitos cotidianos”.

Segundo de Olinda, com o Mude1Hábito mais de 15 milhões de pessoas foram impactadas em cerca de 1,2 mil experiências realizadas por 170 Uni- meds de todo o Brasil, além da mídia on e off-line. “Devido à sua capilaridade, o Sistema Unimed está, muitas vezes, presentes em regiões onde o atendimento público é precário e as cooperativas desenvolvem ações de comunicação e conscientização que realmente fazem a diferença para as pessoas que se relacionam com elas”.

E a Unimed está indo além. Investindo fortemente também em cultura. De acordo com o executivo, o investimento em ações culturais está alinhado com o propósito da marca de incentivar o bem-estar e a saúde mental, que, por sua vez, se reflete na física. O UnimedHall e o Teatro Unimed, localizados na cidade de São Paulo são exemplos recentes de ações que são adotadas para fortalecer a reputação da marca e proporcionar experiências positivas à população.

Existem diversos casos similares de Unimeds que patrocinam espaços culturais em suas regiões por todo o País. A Unimed-BH mantém, desde 2013, o Grande Theatro Unimed-BH, principal espaço do Cine Theatro Brasil Vallourec, com capacidade para mil pessoas. No Rio Grande do Sul, a comunidade conta com o Teatro Oficina Unimed/RS, fruto de uma parceria entre a Fundação Theatro São Pedro e a Unimed Federação/RS. Várias cooperativas mantêm parcerias para levar benefícios aos clientes. A Unimed-Rio de Janeiro, por exemplo, é apoiadora de todos os espetáculos do Theatro Net Rio. No interior de São Paulo, clientes da Unimed Santa Bárbara d’Oeste e Americana têm desconto em al- guns espetáculos no Teatro Municipal Lulu Benencase. Todas essas iniciativas abrem novas possibilidades de relacionamento e conexão da marca com as pessoas, em bons momentos.

Força ao cooperativismo

Mas a Unimed não investe em comunicação visando agregar benefício à sua própria imagem. Todo sistema se engaja para comunicar amplamente os benefícios do cooperativismo. “Como o maior sistema cooperativo de saúde do mundo, temos orgulho em levantar a bandeira do cooperativismo, pelo seu poder de transformar relações e promover mudanças positivas nas comunidades em que está inserido. A Unimed do Brasil é embaixadora do movimento SomosCoop, criado pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) para tornar o modelo conhecido e reconhecido pela sociedade”.

Para de Olinda, é preciso divulgar muito mais os benefícios do cooperativismo para todos os brasileiros para que o movimento cooperativista atraia mais interessados. “Em apoio ao movimento, temos aqui o slogan Somos Unimed. SomosCoop. Mapeamos os principais públicos de relacionamento e traçamos uma estratégia com ações de Comunicação e Marketing, Desenvolvimento Humano e Sustentabilidade e Gestão de Pessoas, que atingem tanto o público interno quanto o externo”.

A Unimed tem diversas ações para divulgar o cooperativismo e incentivar maior engajamento da sociedade. “A proposta é contar com um programa contínuo e que traga sempre novas iniciativas, pensando em enfatizar o senso de pertencimento e proporcionar o conhecimento sobre o modelo cooperativista e a inserção da Unimed nele, fomentando o desejo de engajamento e participação”.

Além do selo “SomosCoop”, a Unimed tem, também, o Programa de Valorização do Médico Cooperado; e captação e retenção de talentos cada vez mais focada em identificar e fortalecer o perfil de funcionários alinhados ao cooperativismo. “A ideia é tornar a Unimed cada vez mais reconhecida como uma marca empregadora”, finaliza de Olinda.

E comunicação com a sociedade também é o forte da Sicredi. Comenta Rogério Machado: “queremos sempre estar presente nas comunidades, por isso nossas agências são o principal referencial de comunicação, seja por meio das reuniões com a comunidade ou por meio das parcerias entre agencias e prefeituras, associações e outras empresas da cidade. Além disso somos parceiros de empresas de comunicações, rádios, jornais, principalmente os que são nossos associados e os que atuam de fato nas cidades onde temos agências”.

Há, também, as cooperativas que não fazem campanhas nas grandes mídias mas estão engajadas neste movimento que valoriza a comunicação. A Coopercitrus Cooperativa de Produtores Rurais, com sede, em Bebedouro, SP, é um exemplo notório. A cooperativa possui 43 anos de existência, con- siderada uma das maiores agropecuárias do Brasil, atende o cooperado em tudo que ele necessita no campo. Com mais de 62 filiais, localizadas nos Estados de São Pau- lo, Minas Gerais e Goiás, a cooperativa disponibiliza aos seus mais de 35 mil cooperados, apoio completo para o desenvolvimento de todas as atividades agropecuárias, ofertando insumos, fertilizantes e defensivos agrícolas, produtos e orientação técnica em saúde e nutrição animal, fábricas de ração, máquinas e até tratores agrícolas.

De acordo com Elaine Dias, coordenadora do departamento de marketing da cooperativa, “a comunicação é de extrema importância em qualquer ramo, empresa ou atividade, assim também, nas cooperativas, que mesmo com a singularidade de sua comunicação, vê na divulgação de seus produtos e serviços a necessidade de imbuir os fundamentos do cooperativismo, assim como, o foco no desenvolvimento sustentável de suas atividades”.


Por Mauro Cassane – Matéria publicada na Revista MundoCoop, edição 91



Publicidade