O oitavo princípio cooperativo?

Publicado em: 21 outubro - 2019

Leia todas


Movimento em todo o mundo, com reflexos também no Brasil, sugere que se acrescente mais um valor aos sete princípios cooperativistas: a comunicação!

Desde o início do segundo semestre deste ano milhões de brasileiros que assistem o horário nobre da TV Globo, emissora de maior audiência da América do Sul, são impactados com uma campanha institucional muito criativa da Sicredi, uma das maiores cooperativas de crédito do Brasil. São 13 vídeos que contam 26 histórias de associados de diferentes regiões do País. A ideia foi apresentar a grande parte da população, com uma linguagem televisiva bastante semelhante a novelas, os benefícios do cooperativismo de crédito para pequenos empreendedores. 

“O Sicredi faz parte da vida dos associados, como ferramenta de trabalho e de conquistas pessoais. Nada mais natural, então, que ressaltemos nos filmes suas histórias e vivências, pois enriquecem ainda mais a troca de experiências”, explica Ana Paula Cossermelli, superintendente de Comunicação, Marketing e Canais do Banco Cooperativo Sicredi.

A campanha da Sicredi tem como principal e óbvio objetivo atrair mais associados (os bancos chamam de clientes). A cooperativa de crédito conta atualmente com uma base de 4,2 milhões de associados e quer chegar a 5 milhões até o ano que vem. O cenário no País é promissor. De acordo com levantamento do IBGE, 60 milhões de brasileiros ainda não possuem conta em banco. 

Segundo dados do Banco Central (BC), nos últimos cinco anos quase quatro milhões de pessoas passaram a fazer parte de alguma cooperativa de crédito. Atualmente o sistema conta com  10,8 milhões de brasileiros associados. Só na Sicredi o número de associados cresceu 77% entre 2012 e 2018 e o das agências, 39%. Hoje, a instituição está presente em 22 estados e o Distrito Federal, por meio de 1.736 agências e pontos de atendimento.  Em 210 cidades, é a única instituição financeira existente. Responsável por um ativo de R$ 101 bilhões, a instituição possui atualmente R$ 64,3 bilhões em depósitos totais, dos quais R$ 61 bilhões aplicados em operações de crédito total.

É claro que, fazendo campanhas publicitárias desta envergadura, com abrangência nacional, a Sicredi quer atingir seus propósitos de trazer mais associados. Mas, ao mesmo tempo, a cooperativa também contribui para sensibilizar as pessoas sobre os benefícios do cooperativismo. O brasileiro, de modo geral, ainda não entende claramente como funcionam as cooperativas e, em certos aspectos, é notório que até mesmo cooperados têm dificuldades de compreender todo espectro que envolve o sistema. 

Com exceção de cooperativas com gestão altamente profissional e com foco no sucesso do negócio (estas investem positiva e inteligentemente em comunicação) ainda há, tanto no Brasil como em todo o mundo, uma grande maioria que se mantém em silêncio. Comunicação é algo tão forte e fundamental que um jargão do apresentador Abelardo Barbosa de Medeiros, imortalizado como “Chacrinha”, é conhecido até hoje: “quem não se comunica, se trumbica”. E é preciso dizer que o “Chacrinha” faleceu há mais de 30 anos. 

E o que é mais conhecido? Palha de aço ou Bombril? Hastes flexíveis ou Cotonete? Leite condensado ou Leite Moça? Amido de Milho ou Maisena? Certamente marcas que mais investiram em comunicação se tornam maiores até mesmo que o produto em si. O cooperativismo precisa fazer o mesmo. “Não basta comunicar-se apenas para atrair mais associados. É preciso vender melhor para toda sociedade os benefícios e o conceito do cooperativismo”, destaca Luis Claudio Silva, diretor comercial da MundoCoop. 

De acordo com Luis Claudio, a MundoCoop se engajou neste ano em uma campanha que já é global para acrescentar um oitavo valor aos já bem conhecidos Sete Princípios do Cooperativismo. “Defendemos que o oitavo princípio seja focado na comunicação. Se entendemos que o cooperativismo é um dos pilares da economia sustentável, é fundamental que pessoas de todo o mundo, que não fazem parte e não conheçam o sistema, sejam bem informadas sobre sua importância e seus benefícios”, comenta Douglas Alves Ferreira, diretor da MundoCoop. 

A plataforma de comunicação MundoCoop, que congrega a revista MundoCoop impressa e digital, site, podcast e app – atua há mais de 20 anos cobrindo o universo cooperativista – está organizando seminários e palestras por todo o País para disseminar a importância da Comunicação neste setor. “Vamos defender a adoção do oitavo princípio cooperativista, que é a comunicação, mas antes vamos trabalhar intensamente para demonstrar às cooperativas a vital importância de se comunicar de maneira clara, sistemática e eficiente”, comenta Ferreira. 

Bandeira MundoCoop

24 anos depois de sacramentados e disseminados mundo afora os Sete Princípios Cooperativistas, seria interessante refletir se, em pleno Século 21, no limiar de uma nova era com foco na comunicação, onde conhecimento passará a ter mais valor que ouro, se não é o momento perfeito para se estabelecer um oitavo princípio: A COMUNICAÇÃO. 

Diz Ferreira, “os valores cooperativistas são nobres e estão bem arraigados entre as cooperativas e os cooperados, mas fora deste universo, na sociedade em geral, particularmente entre as pessoas que não estão conectadas com o cooperativismo, há ainda muito pouco conhecimento sobre esse setor e seus benefícios sociais e, até mesmo, ambientais”. Ferreira é partidário que é preciso dialogar mais com a sociedade e se comunicar melhor com esse público que não conhece o cooperativismo.

“Orientamos toda nossa plataforma de comunicação, revista impressa e digital, e nosso site, para reverberar o quanto o cooperativismo pode contribuir para um mundo mais justo e sustentável”, comenta Luis Claudio Silva, diretor comercial da MundoCoop. A bandeira levantada por MundoCoop, no Brasil, de valorizar a comunicação cooperativista coaduna com movimentos no mesmo sentido vindos de outras partes do mundo. 

Segundo informações do correspondente da MundoCoop no Canadá, Augusto Giroto, na última reunião geral das Cooperativas Mútuas do Canadá (CMC), que aconteceu em junho, Peter Cameron, diretor executivo da Associação das Cooperativas de Ontário, fez um pronunciamento que ressoou como um alerta global. O executivo sugeriu que a inclusão deste oitavo princípio cooperativo, que é a comunicação. Cameron sugere em suas palavras que é preciso incenivar os membros das cooperativas a serem mais “barulhentos”. Ou seja, fazer mais propagando, mais marketing dos benefícios do cooperativismo. “Temos que ser orgulhosos em promover a conscientização do modelo cooperativo para o público em geral e não apenas para o público interno”.

De acordo com Cameron, o Centro de Estudos de Cooperativas da Universidade de Saskatchewan publica suas principais questões de cooperação e o tema “preocupação com a falta de consciência pública do modelo de cooperação” tem estado no topo de sua lista nos últimos três anos. Disse o executivo durante o encontro: “Tenho certeza que todos nessa sala ouviram e experimentaram a frustração com a falta de consciência das cooperativas e ouviram repetidamente a frase de que ‘as cooperativas são o segredo mais bem guardado’. Enquanto alguns podem pensar que a intenção é capturada pelo no Princípio 5: Educação, Treinamento e Informação nosso sentimento é que o foco do Princípio 5 está mais voltado a educação interna e treinamento, e não coloca ênfase suficiente em promoção pública mais ampla”. 

O pronunciamento de Cameron reverberou por todo o mundo. Ainda é cedo para se admitir que um oitavo princípio possa ser incorporado aos sete tradicionais elencados em 1995. Mas a semente foi semeada. “Se não promovermos afetivamente e fortemente o modelo cooperativo, isso não nos permitirá alcançar o público e realizar nosso potencial de construir um mundo melhor”, concluiu Peter.

Selo do Oitavo Princípio

Se estamos vivendo uma nova revolução, não resta dúvidas de que a prioridade da vez é a Comunicação. O assunto que já alcança uma dimensão global precisa ganhar força no Brasil e, pensando nisso, a MundoCoop criou o Selo do Oitavo Princípio do Cooperativismo. O objetivo é ressaltar a importância da comunicação e reforçar o movimento como integralmente sustentável e, acima de tudo, necessário. A partir de agora, a presença do Selo estará enraizada em todos os conteúdos da plataforma MundoCoop e a campanha, além de atrair novos adeptos, busca promover a conscientização dos valores do cooperativismo e sua relevância para a construção de uma sociedade próspera para todos.


Por Mauro Cassane – Matéria publicada na Revista MundoCoop, edição 89



Publicidade