Preparando a nova geração

Publicado em: 02 janeiro - 2020

Leia todas


A educação tem um papel indispensável na formação das pessoas em uma sociedade. Além disso, é um direito fundamental de toda e qualquer pessoa. Constituindo processos de formações escolares, familiares e sociais, as escolas devem ser uma representação de incentivo. Educação não se limita ape- nas à instrução ou transmissão de conhecimento, compreende também o desenvolvimento da autonomia e do senso crítico, aprimorando habilidades e competências de cada um de acordo com suas peculiaridades.

Essas, entre outras, são questões base do quinto princípio do cooperativismo que, como um movimento que visa o bem estar coletivo, não poderia deixar de valorizar a educação, formação e informação para a sociedade. Pensando nisso, o movimento cooperativista enxergou a oportunidade, e tomou como essencial, levar seus princípios para crianças e jovens que tem a possibilidade de ingressar e se interessar, desde cedo, por esse sistema colaborativo.

Visando colocar todos esses ideais, surgiu, em iniciativa do Instituto Siccob, o Projeto Cooperativa Mirim, que também possui outro programa para adolescentes, como o Cooperjovem, com o Seescop. O programa tem como objetivo principal disseminar os valores e princípios cooperativistas, promo- vendo atividades econômicas, sociais e culturais, estimulando o empreendedorismo e colaborando com a formação de futuras lideranças cooperativistas.

“A cooperativa mirim é uma associação de alunos que, sob a direção de um professor orientador, unem-se voluntariamente visando satisfazer anseios e necessidades comuns, por meio da vivência e prática do cooperativismo. São eles, os pequenos cooperados, que dirigem e coordenam as atividades da cooperativa, o que, consequentemente, ajuda no desenvolvimento de competências, hábitos e atitudes por meio de uma prática pedagógica que dissemina os princípios do cooperativismo, harmonizando-os aos interesses com a comunidade e obtendo responsabilidades sociais, morais e econômicas dentro e fora do ambiente escolar.”, diz uma das coordenadoras do projeto que faz parte da OCB/ES, Bianca Rocha.

A junção do cooperativismo com a educação procura estimular os indivíduos à responsabilidade social, formando uma sociedade democrática, visto que é essa representação de solidariedade que o movimento traz, evidentemente consegue evitar uma exclusão social. Ou seja, essa soma contribuí muito mais do que apenas inserir o empreendedorismo, mas também auxilia na formação de cidadãos. “Acreditamos que projetos como esse não só expandem o movimento cooperativista, como também entregam valor a sociedade. Acreditamos que jovens que participam de projetos assim poderão ser para a sociedade indivíduos coletivos, responsáveis e agentes de mudança. O benefício não é apenas para o cooperativismo e sim para toda a sociedade brasileira”, completa Bianca.

Implementação

Na oportunidade, o Projeto Coop Mirim comparece nas escolas e instituições para apresentar, aos diretores e professores, sua proposta e demonstrar a metodologia utilizada, bem como explicarem a dinâmica das oficinas, seus objetivos e metas a serem alcançadas.

Quando os alunos se interessam pela proposta, o projeto começa a inserir e ensinar as crianças e jovens dentro do universo do cooperativismo, fazendo com que sejam encorajados a coordenar, planejar e elaborar todo o processo na criação de uma cooperativa, tanto tendo como foco um produto, quanto um serviço específico.

Por fim, essas crianças e jovens que fazem parte desse projeto acabam recebendo lições diárias de cidadania, democracia e empreendedorismo, o que contempla a profunda imersão no cooperativismo.


Por Jady Mathias Peroni – Matéria publicada na Revista MundoCoop, edição 91



Publicidade