A técnica da atração

Publicado em: 03 maio - 2019

Leia todas


Saber usar as novidades digitais como o Inbound Marketing pode ser o diferencial entre se dar bem ou mal em um empreendimento

A alta tecnologia digital está cada vez mais disponível e acessível. E não utilizar essas modernas ferramentas a favor de seu negócio simplesmente por preconceito contra novidades digitais pode ser muito ruim para seu negócio. Tenha sempre consciência que se você não se moderniza, muitos de seus concorrentes certamente o farão. Portanto, a dica do dia é: fique muito atento às novidades do mundo digital uma vez que isso pode fazer a diferença entre ser bem ou mal sucedido.

Uma das ferramentas cibernética que vem se mostrando uma grande aliada dos pequenos, médios e grandes empreendedores  é o Inbound Marketing, conjunto de estratégias de marketing que visam atrair e converter clientes usando conteúdo relevante. Se você imaginava que as pessoas não estão mais nem aí para conteúdo, vá em frente na leitura dessa matéria e surpreenda-se.

Diferente do marketing tradicional, com o Inbound Marketing a empresa não vai atrás de clientes, porém, explora canais como redes sociais, blogs e mecanismos de busca para ser encontrada e, melhor ainda, se tornar fonte de consultas frequentes.

A despeito de o Inbound Marketing já venha sendo praticado há bastante tempo por profissionais do ramo, a técnica teve origem nos Estados Unidos e começou a se popularizar a partir de 2009, após o lançamento de um livro com o título “Inbound Marketing: seja encontrado usando o Google, a mídia social e os blogs”, de Brian Halligan e Dharmesh Shah.

A partir disso, o termo passou a fazer parte das grandes discussões de marketing em todo o mundo. E cada vez mais empresas de diferentes portes estão aderindo ao método para conquistar mais clientes. O objetivo é claro e transparente: gerar mais vendas, além de reforçar sua confiabilidade com os consumidores.

Marketing de atração, é uma das melhores maneiras de definir Inbound Marketing, pois diferente do marketing tradicional, onde as empresas buscam os clientes, no Inbound Marketing ocorre o contrário, o cliente que procura pela empresa. Há técnicas para fazer essa “mágica” funcionar a contento.

São trabalhadas e realizadas ações com o intuito de atrair o potencial cliente para seu blog ou site e, a partir disso, é feito todo um trabalho de relacionamento com essa pessoa. A “isca” que normalmente atrai o cliente é um velho conhecido das boas mídias: conteúdo de qualidade, de interesse de um público e jornalisticamente confiável.

Você deve estar se perguntando, por que devo utilizar o Inbound Marketing, por que ele é vantajoso e traz resultados para minha empresa.

A resposta é simples, diferente do marketing tradicional, no Inbound a área de marketing da empresa é um centro de investimento e não um centro de custo. Ou seja, todas as ações do Inbound podem ser mensuradas, é possível saber exatamente quantas pessoas visualizaram, converteram ou compraram em cada campanha. Os algoritmos tornam os resultados visíveis e com eles é possível otimizar as campanhas para se obter melhor retorno.

Resumidamente, o Inbound Marketing serve para cinco grandes ações: aumentar a visibilidade do seu negócio, diminuir o custo de aquisição de seus clientes, atrair clientes em potencial, gerar conteúdos que fazem a cabeça de seus potenciais compradores e otimizar o processo de vendas.

“O Inbound marketing é uma estratégia mais objetiva e certeira, pois atinge diretamente clientes em potencial para seu negócio. A técnica requer profissionais mais preparados para definir ações a serem tomadas, visto que gera leads mais qualificados. O inbound mapeia perfeitamente aonde estão seus clientes em potencial e não apenas os atrai, mas os capta e os mantêm fiéis no pós venda”, comenta Marcelo Vieira, Executivo de Comunicação e Marketing do Sicoob Confederação.

Se você não quer ficar atrás de seus concorrentes, tenha uma boa estratégia de marketing de atração. Alguns estudos já foram feitos por sites e blogs especializados em marketing, como o RD Station, mostrando que o Inbound Marketing é 62% mais barato que o marketing convencional.

O Inbound Marketing segue uma linha de raciocínio inteligente, são cinco etapas que se complementam para uma estratégia de sucesso: atrair, converter, relacionar, vender e analisar. Entenda cada uma delas, é simples: a atração se dá oferecendo um conteúdo de interesse de seu público. Se o conteúdo for de qualidade mesmo, você tem facilidade em cadastrar o internauta no seu site, isso já é a “conversão”. O relacionamento deve ser feito moderadamente, com newsletter ou envio de um comunicado sobre algo realmente relevante e, depois disso, é grande sua chance de efetuar uma venda. Em seguida vem a análise de todo processo, ver o que funcionou bem e o que pode ser melhorado. Pronto.

Como transformar visitantes em leads

Uma boa dica para isso é a criação de ofertas, sendo elas diretas, ou seja, aquelas que estão mais diretamente voltadas a compra, como pedidos de orçamento, teste gratuito e etc ou ofertas indiretas também, que são estágios menos avançados do processo de compra. Elas têm um objetivo diferente, de educar e resolver problemas específicos dos possíveis clientes.

Chet Holmes, autor do livro “The Ultimate Sales Machine” traz uma abordagem para ter uma ideia da proporção em que se encontram essas pessoas ao longo do processo de compra: 30% não está interessado, 30% acredita não estar interessado, 30% não está pensando nisso, 6 a 7% está disposto a ouvir e somente 3% está comprando agora.

Por conta desses dados, que existe a etapa de relacionamento. São estratégias que identificam os estágios em que se encontram os leads e aceleram o processo de compra. Algumas dessas estratégias são: email promocional, email marketing, newsletter, entre outros.

“O Inbound Marketing é isso, primeiro a captura de contatos, onde vou me relacionar de maneira muito pessoal a ponto de conhecer as preferências de cada potencial cliente. Assim é possível dialogar de uma forma mais assertiva e entender qual o momento exato para oferecer seus produtos ou serviços”, afirma o diretor executivo da DuoVozz Inteligência, João Riva.


Matéria publicada na Revista MundoCoop, edição 87



Publicidade