Vida em movimento: práticas em prol da saúde dos colaboradores

Publicado em: 10 março - 2020

Leia todas


Novas atividades e exercícios físicos melhoram a performance e saúde dos colaboradores das empresas

Atualmente muito se fala sobre compartilhamento, colaboração e humanização de processos, mas não importa quantos mais conceitos e denominações surjam, todos eles têm um ponto em comum: valorizar o indivíduo em prol de um verdadeiro progresso coletivo.  

Quando esse cenário é observado dentro de um ambiente corporativo, as vantagens de inserir métodos e práticas que mudam a dinâmica de trabalho, e até mesmo de toda empresa ou organização, são muito mais do que hábitos diários, garantem os resultados a longo prazo que são imprescindíveis para um futuro de sucesso. E a ginástica laboral é uma dessas atividades.

Por mais que haja um constante avanço tecnológico invadindo o mercado de trabalho, rotinas que incluem muitas horas em uma mesma posição, geralmente sentado em cadeiras, intensiva utilização de computadores e movimentos repetitivos, por exemplo, são realidades muito presentes na vida dos colaboradores. A ginástica laboral e suas variações, por sua vez, surgiram como formas de evitar desde incômodos e desconfortos até consequências mais graves dentro o ambiente de trabalho.

A prática nasceu na década de 1920 na Polônia e foi sendo disseminada pela Europa e Ásia. No Brasil, umas das primeiras instituições a adotá-la foi o Banco do Brasil, entre as décadas de 80 e 90 aproximadamente, tornando a prática cada vez mais popular do decorrer dos anos.

A Agência de comunicação paulistana Full Jazz, por exemplo, há 10 anos adota uma prática chamada Just a Minute, que surgiu na Inglaterra e consiste em pausas de 30 segundos ou 1 minuto a cada 1 hora, durante o expediente, para que as pessoas façam um relaxamento ao som de uma música meditativa. “No início existiu uma resistência, pois o nível de ansiedade das pessoas é alto e algumas não gostam da interrupção de sua atividade, mas com o passar do tempo elas descobriram que realmente vale a pena”, comenta o diretor da Agência, João Francisco de Carvalho. Para ele, a vantagem da prática é a desintoxicação mental que aumenta a capacidade de o cérebro resolver mais assuntos e tomar mais decisões em menos tempo, ou seja, o aumento da produtividade.

Opções eficientes

Nessa combinação entre bem-estar e vida profissional, muitas alternativas surgem com o objetivo de beneficiar tanto organizações como colaboradores. Esse é o caso do Yoga, ou o Office Yoga como também é muito chamado.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a saúde no ambiente de trabalho pode ser lesada não apenas pela presença de fatores que geram estresse, mas, também, pela ausência de fatores como a falta de atividade muscular, falta de comunicação com outras pessoas, monotonia devido à falta de diversificação em tarefas de trabalho e falta de estímulos individuais e coletivos.  

O Yoga é um sistema filosófico-prático que surgiu na Índia há milênios atrás e começou a ser pensado como ciência em meados de 1924, onde começou a ser usado para constatarem seu valor como meio de auxiliar no tratamento de doenças. Desde então as práticas de posturas de alongamento e de meditação tem alcançado grande repercussão no mundo, graças a sua colaboração à melhoria na qualidade de vida dos praticantes. “Por ser uma atividade de baixo impacto, melhora a força e flexibilidade, melhora a concentração, reduzindo o stress e a tensão física e mental. Além disso, ajuda a erradicar a fadiga e gerar energia, melhorando a autoestima. Os exercícios são simples e podem ser adaptados para diferentes níveis de habilidade e de rotina”, comenta a professora de Yoga, Fabiana Paron.

No que diz respeito ao ambiente profissional, a prática regular é conhecida por trazer uma melhoria da saúde da mente e do corpo, aumento da energia, bem-estar e produtividade.

Desde 2017, o Yoga foi inserido na Politica Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do SUS a fim de, juntamente com outras terapias complementares, integrar o hall de procedimentos auxiliares no tratamento das doenças. Segundo Fabiana, no mundo corporativo, grandes empresas como a Serasa Experian, já se beneficiam ao introduzir espaços dedicados à pratica de Yoga e Meditação. “A Cooperativa Cocamar também possui uma sala onde os funcionários sentam para meditar durante 20 minutos de seu dia. Grandes nomes como Steve Jobs, fundador da Apple, Lionel Messi e Sergey Brin, Co-Fundador da Google, inseriram e inserem o Yoga em sua rotina a fim de alcançar o equilíbrio mente/corpo tão fundamental para manter suas performances em alto nível”, ressalta.

O Yoga dentro do ambiente de trabalho pode ser praticada de inúmeras formas. Uma das possibilidades é a repetição de alguns movimentos sentado na cadeira, fazendo pausas durante o expediente ou em alguns minutos do horário de almoço. Veja exemplos práticos:


Por Fernanda Ricardi – Matéria publicada na Revista MundoCoop, edição 92



Publicidade