As Mulheres no Cooperativismo

Publicado em: 08 março - 2017

Leia todas


Portrait of a happy business woman with colleagues discussing in background

As Mulheres no Cooperativismo

As mulheres podem contribuir efetivamente para agregação positiva e enriquecedora em diversos setores, no cooperativo não é diferente. O peso cultural, dinamismo, empreendedorismo, dentre outros, tornam a mulher um misto de significados e significativos.

No mundo feminino existem várias funções que, diariamente, a mulher desenvolve, sendo elas de natureza social, pessoal ou corporativa. Que o dia a dia da mulher é desafiador e corrido não temos dúvidas, mas sabemos que fazer parte de uma união e ter o sentimento de pertenciamento pode facilitar as demandas. Por conta disto, cada vez mais, o mundo cooperativo conta com protagonistas feministas.

Além do setor ser fonte econômica de estabilidade e democracia, os valores e princípios cooperativistas atraem as mulheres ao setor por se basearem em ajuda mútua, responsabilidade social, democracia, igualdade, equidade e solidariedade, proporcionando ao cooperado o sentimento tão almejado de pertencimento.

AUTONOMIA DAS MULHERES

Segundo pesquisa feita pelo censo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é cada vez maior o número de mulheres chefes, dirigentes de família, representando mais de 25% das famílias brasileiras.

Conforme dados da OCB, FGV e do Sescoop, os números representantes da participação da mulher no cooperativismo demonstravam que no quadro de empregados das cooperativas, 40% dos cooperados são mulheres.

Cargos antes de posições exclusivamente masculinas, passaram a ser desempenhados também por mulheres. As cooperativas exercem o empoderamento das cooperadas de forma democrática e inclusiva, permitindo a elas condições reais de igualdade perante os demais membros. A sociedade ganha muito quando a inserção da mulher é aplicada em seus setores.

 

08 de março – Dia internacional da Mulher

 



Publicidade