Programa de gestão do Sescoop/SP é referência para Moçambique

Publicado em: 13 dezembro - 2018

Leia todas


No dia 10 de dezembro, o diretor-executivo da Associação de Pequenas e Médias Empresas de Moçambique (APME), Gabriel Machado, esteve na Casa do Cooperativismo Paulista para conhecer o processo de implementação do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC) em São Paulo.

A reunião integra uma agenda de atividades programadas pela Fundação Nacional de Qualidade (FNQ) para a APME no Brasil. A FNQ é responsável pelo Modelo de Excelência da Gestão (MEG), modelo referencial que busca a melhoria da qualidade da gestão e o aumento da competitividade de organizações, que foi base para a criação do PDGC e cuja metodologia vai inspirar a atuação da APME.

“A APME precisava conhecer na prática um instrumento de avaliação baseado no MEG e, além disso, eles começarão a trabalhar com cooperativas em Moçambique, então nada mais necessário do que visitar a Casa do Cooperativismo Paulista para entender na prática a ferramenta”, explica o gestor de projetos da FNQ, Luiz Eduardo Malta, que acompanhou a reunião.

Os dois profissionais foram recebidos pelo assessor especial da Ocesp, Américo Utumi, pelo gerente de Monitoramento e Promoção Social do Sescoop/SP, Luis Antonio Schmidt, pela coordenadora do núcleo de Gestão de Cooperativas, Andréa Pinheiro, pelo coordenador jurídico, César Santos, e pela consultora regional, Daniela de Morais.

“Foi uma oportunidade de contribuir com a APME com nossa vivência e experiência na implementação do PDGC. Abordamos as principais dificuldades na atuação, os desafios que tivemos, o perfil da equipe e a forma como mobilizamos e sensibilizamos as cooperativas para a utilização da ferramenta”, comenta Schmidt.

Segundo Machado, o MEG está sendo analisado pela APME já há bastante tempo. “Julgamos ser um instrumento muito bom para fazer diagnósticos, elaborar planos de melhoria e promover ações de desenvolvimento de pessoas e empresas”, declarou o diretor que, ao fim da reunião, quis conhecer mais também sobre as outras ferramentas de diagnóstico utilizados pelo Sescoop/SP: o Programa de Acompanhamento da Gestão das Cooperativas (PAGC) e o Programa de Desenvolvimento Econômico-Financeiro (GDA). “É muito interessante poder entender na prática como funcionou a implementação do projeto para, assim, idealizar melhor o que significará levá-lo para Moçambique”, conclui.

 

Fonte: Sescoop/SP



Publicidade