Mil especialistas serão formados em Atenção Primária à Saúde

Publicado em: 14 março - 2019

Leia todas


Defendida por especialistas como um dos caminhos para a sustentabilidade da saúde no Brasil, a inserção da Atenção Primária à Saúde (APS) no modelo assistencial encara ainda a escassez de especialistas na área. Tendo em vista esse cenário, a Unimed do Brasil, em parceria com a Faculdade Unimed e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), vai capacitar mil profissionais em APS até 2021.

Para isso, lança um curso de aperfeiçoamento para a área, voltado a médicos cooperados (especialistas em Medicina da Família e Comunidade, Clínica Médica, Pediatria, Geriatria, Ginecologia e Obstetrícia, Medicina Preventiva e Social), enfermeiros e gestores de APS ligados às cooperativas do Sistema Unimed. O curso acontece na modalidade de ensino a distância (EAD), e conta com 10 módulos teóricos e um módulo prático.

“Comprometido com a saúde e bem-estar das pessoas e com a sustentabilidade da saúde em geral no País, o Sistema Unimed definiu a expansão da Atenção Integral à Saúde como meta prioritária e este curso chega para suprir a carência de profissionais qualificados na área. Trata-se de um curso inédito, com desafios que respeitam a singularidade do Sistema Unimed, presente em 84% do território nacional e com protagonismo reconhecido dentro da saúde suplementar”, ressalta Orestes Pullin, presidente da Unimed do Brasil.

A Unimed defende que o modelo de assistência à saúde precisa ser reformulado e considera fundamental o investimento dos setores público e privado na medicina preventiva e em ações integradas que beneficiem a qualidade de vida e a gestão da saúde, trazendo o paciente para o centro do cuidado assistencial.

Segundo Orestes Pullin, devido sua relevância, a Unimed trabalha para que a APS seja difundida não apenas entre suas cooperativas, mas em todo o setor da saúde. “A Unimed do Brasil mantém aberto o diálogo com o Ministério da Saúde, Governos, Prefeituras e demais entidades representativas para o compartilhamento de experiências e contribuição na difusão da Atenção Primária também para a saúde pública”, afirma o dirigente.


Fonte: Imprensa Unimed com adaptação da MundoCoop



Publicidade