Agronegócio responde por 90% das exportações do Paraná em 2020

Publicado em: 10 fevereiro - 2021

Leia todas


Com exportações (US$ 17,27 bi) superando em 60,5% as importações (US$ 10,75 bi), a balança comercial do Paraná registrou superávit de US$ 6,5 bilhões em 2020. Para que esse resultado fosse atingido, o agronegócio respondeu por 90% das exportações paranaenses, conforme admitiu o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, ao comentar que esse desempenho favorável “é fundamental para aquecer a economia nacional”. Atualmente, o estado sulista detém a terceira maior receita em exportações do país, respondendo por 8,23% do montante global, segundo o site Canal Rural.

“A atividade (agro) sustentou a economia do país e impediu que os impactos da pandemia fossem ainda maiores, pois ela cria um ciclo virtuoso, criando empregos no campo, no transporte, na armazenagem e na atividade portuária”, argumenta Garcia. Ele completa, afirmando que, “até mesmo as importações são impactadas pela produção rural, pois o principal produto importado   é o fertilizante”, completa.

Entre as commodities, a maior receita (US$ 5,12 bilhões) correspondeu às exportações de soja (US$ 14,26 bilhões), ao passo que, pelo lado das importações, os adubos somaram uma receita de US$ 2,46 bilhões; derivados de petróleo (US$ 1,27 bilhão) e reatores nucleares, caldeiras, máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (US$ 1,17 bilhão).

Movimentação geral

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia, a movimentação geral dos portos do Paraná atingiu 57,34 milhões de toneladas em 2020, volume 8% superior aos 53,2 milhões registrados no ano anterior. Em nova marca histórica, as exportações paranaenses, no ano passado, somaram 36,33 milhões de toneladas – 63,36% da movimentação total – ao passo que as importações totalizaram 21 milhões de toneladas ou 36,64% do total. A pasta informou, ainda, que as exportações brasileiras – também em 2020 – tiveram receita superior a US$ 209 bilhões, contra importações de US$ 158,93 bilhões.  

Boa fase

Outro dado que confirma a boa fase é o avanço do faturamento das cooperativas do Oeste paranaense em 2020, como a Copacol, de Cafelândia, cujo faturamento foi 30% superior ao ano anterior, a despeito da pandemia. Sua colega C. Vale, de Palotina, também foi além, faturando 37%, em igual comparativo, e a Lar Cooperativa, de Medianeira, que cresceu 55%, revelou a Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), para quem a performance positiva das cooperativas está relacionada diretamente à alta da cotação do dólar, que turbinou as exportações.

Menos café

Em termos de produção, as notícias não são tão animadoras, pois a previsão é de uma redução, entre 5% e 15%, da safra de café paranaense em 2021, devido à estiagem ocorrida no ano passado, que afetou, tanto a área plantada, quanto a produtividade da commodity. Em contrapartida, os preços do produto seguem subindo para este ano, por conta da arrancada das exportações no período. A Secretaria de Agricultura do Paraná vem alertando que o excesso de chuvas da atual estação “poderá impactar negativamente a safra de grãos, como soja, feijão e milho”. A previsão da secretaria é de que a safra regional deverá encolher 3% este ano, em relação a 2020 – correspondendo a 224 milhões de toneladas de grãos. 


Por Marcello Sigwalt – Redação MundoCoop


Notícias relacionadas



Publicidade