Brasil pode ampliar potencial de agricultura irrigada, diz ministra

Publicado em: 16 junho - 2021

Leia todas


Em evento sobre a irrigação no Brasil, ministra destacou o benefício da tecnologia para o produtor e a sociedade

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse neste terça-feira (15) que a expansão da agricultura irrigada precisa ser vista como uma ferramenta estratégica para o aumento da produtividade no Brasil. Ao participar do seminário “Irrigar é Alimentar”, promovido pelo Sistema CNA/Senar e os Ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Regional, ela destacou que o Brasil tem apenas 3% de sua produção agrícola irrigada, enquanto a média mundial é de 20%. 

“Precisamos desenvolver uma estratégia para explorarmos melhor esses recursos. Expandir a nossa agricultura irrigada trará vários benefícios para o produtor rural e para a sociedade brasileira: aumento da produtividade e da renda do produtor, geração de empregos, fortalecimento das cadeias produtivas, controle da inflação, ampliação das exportações, aumento do PIB e várias outras consequências positivas em cadeia”, disse a ministra. 

Tereza Cristina destacou que a ampliação da área irrigada no Brasil não compete com a preservação ambiental ou com outras atividades sociais e produtivas, e citou um estudo da Esalq que aponta que o país pode aumentar a área irrigada para 55 milhões de hectares, utilizando áreas degradadas ou de baixa produtividade. 

O setor quer tornar o dia 15 de junho o Dia Nacional da Agricultura Irrigada, para dar maior visibilidade ao tema e criar oportunidades de debate com a sociedade sobre segurança alimentar, econômica e ambiental do Brasil. 

Produtividade e segurança alimentar 

Com uma produtividade de até três vezes maior do que áreas de sequeiro, a produção irrigada apresenta vantagens como o aumento na oferta e na regularidade de alimentos, melhoria da qualidade dos produtos, atenuação dos impactos da variabilidade climática, redução de custos unitários. 

A irrigação contribui para a segurança alimentar e nutricional da população brasileira, sendo uma técnica utilizada no cultivo de alimentos típicos da dieta nacional como arroz, feijão, legumes, frutas e verduras. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é um dos condutores da Política Nacional de Irrigação e trabalha para o aumento de áreas irrigadas trazendo resiliência ao produtor rural com a conservação da água e do solo. Até o ano de 2050, o mundo irá demandar o aumento de alimentos na base de 60% e de água, em 40%, segundo a FAO. 

‘Com certeza faltava este marco para demonstrar a importância da irrigação para toda a sociedade, o que promove a segurança alimentar, econômica e ambiental do Brasil. Temos o potencial de avançar a produção irrigada em 55 milhões de hectares”, declarou o coordenação-Geral de Irrigação e Drenagem do Mapa, Frederico Cintra, ao destacar programas Pronasolos, Águas do Agro e o Plano ABC. 

O Brasil totaliza 8,2 milhões de hectares equipados para irrigação, sendo 64,5% (5,3 milhões de hectares) com água de mananciais e 35,5% (2,9 milhões de ha) fertirrigados com água de reuso. A agricultura irrigada apresentou crescimento nas últimas décadas. Entre 2012 e 2019, houve intensificação da atividade com um maior aporte de crédito e investimentos privados, resultando em um crescimento da ordem de 4%. Nesse período foram incorporados cerca de 216 mil hectares irrigados. 

“O levantamento da 2ª edição do Atlas da Irrigação mostra a importância da atividade tanto para a sociedade quanto para a economia do Brasil. Em 2019, o valor da produção irrigada superou a marca de R$ 55 bilhões”, declarou Thiago Fontenelle, da Agência Nacional de Águas (ANA). 

“A irrigação é um avanço para nossas tecnologias especialmente em uma fase em que as mudanças climáticas têm afetado a produtividade no campo. Temos que aproveitar essa vantagem competitiva brasileira como uma atividade não para uma, mas para 2,5 a três safras. Nossa ciência está trabalhando rapidamente para aumentar a capacidade e produtividade das espécies que estamos plantando. O mundo espera que tenhamos alimentos de qualidade, com preços competitivos”, disse o ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli, indicado ao Prêmio Nobel da Paz. 

Durante o evento, o Pesquisador da Embrapa Lineu Rodrigues apresentou a Rede Nacional de Irrigantes (RNAI), que tem o objetivo de reunir os irrigantes do Brasil para discutir a agricultura irrigada de forma estratégica e apresentar a agricultura irrigada como um vetor para o desenvolvimento da segurança alimentar, econômica e ambiental do Brasil. A Rede é composta de 58 membros representantes de associações de irrigantes, de cinco polos de irrigação no Brasil e de nichos da agricultura irrigada. 

Também participaram do evento o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, o ministro do Desenvolvimento, Rogério Marinho, e o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Sérgio Souza.


Fonte: MAPA


Notícias Relacionadas:



Publicidade