Com R$ 19 bi em riquezas, agronegócio é pilar do crescimento do PIB estadual, diz governador

Publicado em: 09 junho - 2022

Leia todas


Calcado na sustentabilidade, apoiado pela pesquisa e com altos níveis de produtividade, o agronegócio foi um dos setores de maior contribuição para crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso do Sul nos últimos anos, gerando quase R$ 19 bilhões de riquezas ao Estado. A importância do setor que representa 17,10% de todo o PIB estadual que era de R$ 106 bilhões no último levantamento do IBGE (2019), foi destacada ontem pelo governador Reinaldo Azambuja durante a abertura da 2ª edição do Interagro.

O evento realizado pelo Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho – SRCG debaterá até amanhã pecuária de leite, corte, genética, agricultura e cooperativismo.

“Nos últimos dez anos a agropecuária contribuiu muito para o crescimento da riqueza estadual. Todos os setores ajudaram, mas o agro foi essencial neste processo de fazer brotar oportunidades no campo”, salientou o governador.

Ele frisou que esse incremento só foi possível graças a adoção de ações concretas de políticas públicas do Governo do Estado, que incluem desde o investimento em tecnologia, incentivo da produção e proteção ao meio ambiente.

“Fomos o Estado que mais cresceu na pandemia, vimos a pujança do desempenho da agropecuária. Tivemos anos difíceis em 2015, 2016. Já em 2019, 2020 e 2021 tivemos a pandemia. Mas mesmo assim a economia cresceu”, relembrou.
Azambuja falou sobre o aumento na área agricultável do Estado nos últimos anos.

“Na agricultura saímos de 2,4 milhões de hectares cultivados em 2015 para 3,8 milhões em 2021. É um avanço exponencial e não desmatamos. Nós ocupamos as áreas de pastagens, incorporamos áreas produtivas”, salientou.

Comprometimento com Meio Ambiente

Programas como os apresentados nesta semana na Agenda Verde que preveem a redução de gases de efeito estufa foram destacados pelo governador do Estado no evento. “Nesta semana falamos sobre a questão ambiental e apresentamos conquistas. As vezes ficamos acanhados e deixamos uma retórica mentirosa ser contada no mundo muitas vezes contaminar o ambiente. Aqui em Mato Grosso do Sul quando apresentamos o programa Estado Carbono Neutro, juntamente com a Semagro e o Mapa apresentamos programa nacional de sustentabilidade, das cadeias produtivas do agro, mostramos o nosso potencial de criar medidas eficientes na mitigação destes problemas”, destacou.

O governador ainda pontuou o protagonismo do Estado nestas ações que visam levar MS a Carbono Neutro em 2030. “Fiquei feliz quando vi uma artista de renome nacional dizer esta semana para que não copie o que os europeus e o que os americanos fizeram na questão ambiental porque eles acabaram com tudo do que tem lá. Em MS 33% das nossas áreas estão preservadas, intactas. E nós vamos ampliar de 3,8 milhões de hectares para 5 milhões de hectares plantados com soja e milho, sorgo e trigo nos próximos anos”, acrescentou.

O potencial das florestas que devem saltar em mais de 1 milhão de hectares em cinco anos no plantio do Estado também foi relembrado pelo governador. “Sairemos de 1,350 milhão de florestas plantadas para mais 2,3 milhões de hectares somente no próximos cinco anos. Tudo pela chegada de grandes empreendimentos no Estado, gerando emprego, conhecimento e incorporando áreas degradadas de pastagens. Este é o agronegócio que movimenta a economia”, concluiu.


Fonte: Governo do Mato Grosso do Sul


Notícias Relacionadas:



Publicidade