Cooperativa apresenta os campeões de produtividade de soja safra 2020/2021

Publicado em: 27 julho - 2021

Leia todas


A Integrada Cooperativa Agroindustrial comemorou, com os 11 mil associados, o sucesso do Programa Produtividade Integrada – Soja 2020/2021.

O desafio de produtividade lançado aos produtores para a safra da oleaginosa motivou o aperfeiçoamento nas estratégias para a cultura da soja, do plantio à colheita, com atenção especial ao manejo durante o desenvolvimento das lavouras.

O evento digital celebrou o efeito do investimento em tecnologias de ponta e em assistência técnica qualificada que a Integrada disponibiliza aos cooperados.

O diretor vice-presidente da Integrada, João Francisco Sanches Filho, destaca que a cooperativa conta com mais de 130 agrônomos com foco em oferecer aos cooperados uma assistência técnica de alta qualidade e tecnologias voltadas à produtividade sustentável das lavouras e ao aumento da renda dos produtores rurais. “A Integrada está focada na perenidade do agronegócio, por isso, trabalha para gerar valor ao cooperado no presente e no futuro”.

Para o superintendente de insumos e técnica da Integrada, Edson Oliveira, a última safra de soja passou por vários desafios. A tecnologia em serviços e insumos oferecida pela Cooperativa ajudou o cooperado a superar as intempéries, para colher altas produtividades. “Juntos, cooperados e colaboradores, contribuíram para o sucesso da safra 2020-2021 e para o resultado positivo registrado no programa Produtividade Integrada”.

Em Ubiratã (PR), o produtor Maércio Leandro Reinert que já tem no currículo a vitória no desafio de produtividade do milho de segunda safra de 2019. Aproveitou a experiência e aceitou participar da edição 2020 do Programa. Como resultado, colheu expressivos 6.198,34 quilos de soja por hectare, ou 250 sacas por alqueire. “Quando eu recebi a notícia de que fui campeão de produtividade foi uma grande alegria”, conta o produtor, que reconhece que a assistência técnica prestada pelo agrônomo é fundamental para o sucesso da safra. “A parceria vale tudo, desde o aconselhamento até o acompanhamento técnico”, ressalta.

O agrônomo Vinícius Martins, que atendeu o produtor Maércio, se sente realizado com a conquista. “Atingir esse índice de produtividade depende de vários fatores, além da condição climática. É preciso que o proprietário da lavoura tenha confiança nas orientações que transmitimos, e nós temos que respeitar a experiência do agricultor. Foi nesse ambiente de parceria que nós conduzimos a agricultura de precisão, a quantidade certa de fertilizante e outras ações. O stress hídrico que o Paraná enfrentou e enfrenta poderia ter afetado o resultado, mas a lavoura estava sustentada em um solo estruturado, em um manejo pensado para aquela situação. O primeiro lugar conquistado pelo Maércio é também minha realização como profissional”, atesta.

E, Ubiratã exibe o pódio duplo, com o excelente resultado alcançado pelo agricultor Jhone Trevizan Castanheira e pelo agrônomo Guilherme Carvalho da Silva. A segunda melhor produtividade do desafio tem números também acima da média do Paraná para a cultura. Foram colhidos 5.980 quilos por hectare, que representam 241,19 sacas por alqueire. O agricultor participou da competição pela primeira vez. “Teve momento de seca, teve momento de excesso de chuva. Quando começamos a colher e vimos os números foi recompensador”. E, conclui: “O agrônomo tem que se importar com a lavoura tanto quanto o produtor, e foi o que aconteceu, o prêmio é nosso”.

Para o agrônomo Guilherme o concurso é um desafio para o profissional, para o produtor e para a própria cooperativa. “É uma forma de estimular a aplicação do nosso conhecimento e de toda a tecnologia que a Integrada disponibiliza em favor da produtividade”, avaliou. Para Guilherme, além da atenção permanente com adubação, foram feitas mais duas aplicações de fertilizantes foliares, e adicionado cloreto de potássio. “Entramos na área toda semana para antecipar algum ataque de praga ou doença, a prevenção salva uma lavoura”, orienta.

E, para consolidar a importância do desafio, o terceiro lugar trouxe a representatividade feminina. Keiko Suguiura é de Arapongas, no norte do Paraná. A experiência da agricultora rendeu 5.789 quilos de soja por hectare, ou, 233,49 sacas por alqueire. A cooperada conta que aplicou o mesmo trato cultural em toda a área, e não apenas no talhão inscrito no concurso. “Eu tinha preocupação com o mofo branco e outras doenças da soja, então, protegi a lavoura inteira. Também fiz a mesma adubação e cuidados fitossanitários”.

Keiko apoia a iniciativa da Integrada de lançar concursos de produtividade. “A participação faz com que eu me mantenha sempre atualizada. Ouvir a orientação do agrônomo da cooperativa é fundamental, principalmente, para adotar as melhores estratégias para a cultura”.

O agrônomo da Integrada Jânio Raimundo revela que atende a produtora há 18 anos, e a relação entre eles é de extremo respeito e confiança. “Ela é muito técnica e bem informada, não toma nenhuma decisão sem avaliar os possíveis resultados. Investe alto em adubação, trato fitossanitário, por isso, a produtividade é sempre acima da média”.

Para Jânio, o desafio de produtividade estimula o profissional a aplicar seu conhecimento, a buscar informações novas e crescer. “É muito gratificante confirmar em números o planejamento de uma safra inteira. E, além disso, ver nosso empenho reconhecido com uma produtividade acima do padrão”, que venham mais desafios”, comemora.

Wellington Furlaneti, gerente técnico da Integrada, celebrou o resultado do Produtividade Soja 2020-2021 agradecendo e valorizando o engajamento da equipe e dos cooperados. “Mesmo com as intempéries e uma nebulosidade, que interferiu na entrada de luz em momentos importantes da lavoura, as estratégias oferecidas pelos agrônomos e adotadas pelos agricultores, minimizaram possíveis perdas”. O gerente informou os dados médios oficiais de produtividade no Brasil, fornecidos pela Conab, fixados em 3.500 quilos por hectare. “Com as ferramentas disponíveis na Integrada foi possível atingir os altos tetos produtivos, como agricultura de precisão, que conta com um departamento exclusivo na cooperativa, a semente especial Safra Super, tecnologia exclusiva da Integrada, e outros recursos tecnológicos para a atividade”.

A Integrada está entre as maiores e melhores cooperativas do país. No último ano, 2020, ultrapassou R$ 4 bilhões em faturamento. Sua atuação representa 1% da safra nacional, 6% da safra do Paraná e 2% da safra de São Paulo.

O cooperativismo no agronegócio oferece suporte robusto para o desenvolvimento do setor. As cooperativas do Paraná configuram 62% do PIB agropecuário do Estado. Os agricultores ligados a cooperativas paranaenses abastecem o Brasil e o mundo.


Fonte: Imprensa Integrada


Notícias Relacionadas:



Publicidade