Cooperativa passa a oferecer serviços com drones

Publicado em: 21 janeiro - 2022

Leia todas


Avançando em agricultura digital, a Cocamar passa a oferecer um novo serviço aos cooperados, implantado em parceria com a empresa fornecedora Mosaic: a pulverização das lavouras de grãos feita por meio de drones.

A Cocamar amplia, assim, o leque de serviços oferecidos aos cooperados, conforme determina o Planejamento Estratégico 2020/25”, pontua o gerente executivo técnico, Renato Watanabe.

Com a agilidade e a economia que proporcionam, por reduzir o consumo de água e produtos químicos, os drones começaram a ser demandados pelos cooperados, de forma ainda tímida, nos últimos dois anos, sendo os serviços executados por empresas prestadoras.

“Vamos intensificar o uso desses equipamentos a partir de agora, eles apresentam muitos benefícios”, comenta o engenheiro agrônomo Víctor Wilson Palaro, responsável por coordenar e fomentar a agricultura digital na cooperativa. A contratação do serviço deve ser agendada nas unidades onde os cooperados são atendidos.

Além de considerável redução no consumo de água e produto químico (quando associadas ao mapeamento de plantas daninhas, por exemplo), a aplicação pode ser feita com drone em áreas de difícil acesso, como as de alta declividade, ou logo após uma chuva – o que impossibilitaria a entrada de pulverizadores de arrasto.

Com o equipamento, a aplicação é executada em lavouras de milho após o pendoamento, já que não há limitação de altura das plantas como nos pulverizadores de arrasto; não ocorre o amassamento das plantas na lavoura; podem ser feitas aplicações localizadas em reboleiras; a movimentação das hélices do drone acarreta um fluxo de ar que direciona as gotículas, melhorando a penetração da calda nas plantas. Tudo isso sem o menor contato com defensivos durante a operação, aumentando a segurança do aplicador.

Outra vantagem é que o produtor pode solicitar a aplicação em lotes distantes, reduzindo o deslocamento de máquinas, otimizando assim as operações em momentos de grande pressão de pragas e doenças.

As primeiras aplicações – de fungicidas em lavouras de soja -, foram feitas na quarta e quinta-feira (dias 19 e 20/1) em São Sebastião da Amoreira, norte do Paraná.

Segundo Palaro, são três drones, dois dos quais pulverizadores modelo XAG P-30, que apresentam vazão de 8 litros por hectare, área essa percorrida em 10 minutos, em média. Um detalhe é que ambos os drones pulverizadores podem ser trabalhados ao mesmo tempo por um único operador.

O terceiro drone é específico para imageamento: sua função é sobrevoar as lavouras para desenhar a operação. A partir dos dados gerados pelo drone é que será concebido um mapa contendo os pontos de aplicação.


Fonte: Imprensa Cocamar


Notícias Relacionadas:



Publicidade