Cooperativas de agricultores familiares do Paraná receberão auxílio do Estado

Publicado em: 29 abril - 2021

Leia todas


Sendo parte do pacote de medidas para ajudar a economia do estado, cooperativas de agricultura familiar do Paraná irão receber um auxílio neste período de crise sanitária. A medida deve distribuir R$31 milhões entre cooperativas de pequeno porte, e será realizada através da lei federal nº 13.019/2014 e do decreto estadual nº3.513/2016. 

Em entrevista ao Bem Paraná, o coordenador do programa Coopera Paraná, Jefferson Meister, reafirmou a necessidade do edital, para que o processo de distribuição dos valores siga todos os procedimentos que a legislação brasileira impõe sobre esse tipo de ação.

Sobre o auxílio, Meinster diz que não é possível prever o impacto nas cooperativas no curto prazo. Ao aplicarmos o contexto inédito que a pandemia coloca sobre o mercado como um todo, é difícil rastrear a diferença entre os ganhos e perdas antes e depois do recebimento do auxílio. “Às vezes leva dois, três ou quatro anos para se ter um impacto dentro da cooperativa. Não tem como afirmar quanto aumentou e se aumentou, mas os investimentos vão contribuir para isso”, afirma.

A nova medida se soma ao programa de auxílio anunciado no início de abril. Na ocasião, o Fundo Estadual de Combate à Pobreza do Paraná (Fecoop) anunciou a distribuição de R$59,6 milhões para mais de 86 mil empresas, dentre elas microempreendedores individuais de seis setores.

Assistência em todas as fases de produção

Ao longo de 2020 e nos primeiros meses deste ano, o governo do Estado esteve atuando constantemente de forma a auxiliar os produtores da região, de forma a diminuir os impactos da pandemia. Com isso, durante todo esse período foram realizadas lives de capacitação, que trabalharam aspectos desde a parte técnica à gestão nas mais diversas áreas.

Ainda segundo Meister, outras medidas do governo buscaram auxiliar os produtores na manutenção de suas produções, criando um planejamento detalhado de todas as etapas da produção, incluindo o volume administrado dentro das propriedades. Para assegurar a continuidade das atividades, o governo estadual ainda buscou criar incentivos para a compra de mudas e insumos.

Mesmo que haja um comprometimento entre produtores e governo, a prestação de contas não segue uma regra. Segundo Meinster, o que acontecem são adequações ao resultado de cada produtor. “O que existe são ajustes, mostrando a necessidade de aumentar a quantidade produzida, de trabalhar com produtos que o cooperado não trabalha, de diversificar”, diz ele. A partir disso, a cooperativa passa a ter um compromisso em entregar um determinado volume de produção, do contrário não haverá remuneração. “É uma via de mão dupla. Existe um acerto dos contratos que a cooperativa fecha e os cooperados têm a obrigação e a necessidade de produzir naquelas quantidades”, completa.

Agricultura Familiar

Apesar de em seu cerne se tratar de uma produção voltada ao consumo próprio, a agricultura familiar tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil. Hoje, 70% dos alimentos que chegam à mesa do brasileiro tem essa origem. Ao redor do país já são mais de 5 milhões de propriedades rurais.

Um dos principais chamativos desse tipo de produção é a utilização de técnicas mais sustentáveis, garantindo produtos orgânicos, sem o uso de agrotóxicos; o que ainda diminui o impacto no meio ambiente. Hoje em dia a maioria das propriedades tem como foco a produção de legumes, hortaliças e frutas.

Hoje no Paraná existem cerca de 171 cooperativas de agricultura familiar, além de 500 associações; que juntas agregam 67 mil famílias. O faturamento desse grupo chega a R$550 milhões anuais.


Por Redação MundoCoop, com informações de Bem Paraná


Notícias Relacionadas:



Publicidade