Cooperativismo impulsiona diversificação na propriedade rural

Publicado em: 12 janeiro - 2021

Leia todas


A diversificação da propriedade rural é um dos aspectos importantes para uma melhor organização financeira dentro do orçamento anual de pequenos e médios produtores rurais. Mas, muito além de apenas obter mais renda, é uma forma de usufruir de cada pedaço de terra para que haja otimização nos processos de produção. Outro fator importante é a atuação em família. A sucessão familiar é um dos principais pilares para a continuidade das novas gerações no campo e precisa ter, bem definido, o que cada um terá como responsabilidade na lida do dia a dia. 

Um bom exemplo de atuação em família e diversificação da propriedade rural vem da cooperada Ernilda Valli Bardschke Weber e Edith Weber, da Linha Arapongas, em Toledo (PR). “Nossa propriedade tem nove alqueires, sendo metade minha e a metade de minha irmã Edith, onde atuamos com pecuária de leite, avicultura e agricultura”, explicou o esposo da cooperada, Hebert Weber que complementou, “na atividade de leite temos um plantel geral de 93 animais sendo 48 em lactação com uma média de 24 litros cada em duas ordenhas diárias”.

Hebert explicou que em sua propriedade a diversificação é muito importante para o orçamento da família. “Na parte agrícola plantamos soja e milho para uso com os animais e ainda para venda. Apesar de ser uma pequena propriedade, fazemos muito com cada pedaço de terra e envolvemos toda a família na lida do dia a dia”, disse.

Na parte de nutrição animal o cooperado relatou que utiliza a ração da Primato desde o início. “Nós utilizamos a Prima Raça 22% especial desde o início da indústria aqui em Toledo, sendo que no máximo ficamos alguns meses sem utilizar e vimos que a produção caiu”, exaltou Hebert que complementou, “por isso não troco por outra, se trata de uma ração muito boa, que responde às nossas expectativas em sanidade, produção. É sem dúvidas uma ração de qualidade”. 

Em relação à cooperativa, Hebert classificou como importante e positiva. “Nós somos cooperados desde a fundação da cooperativa e temos uma relação muito positiva com a Primato. Claro que, assim como toda a relação, existem momentos que nós gostaríamos de ter mais, assim como há vezes que a cooperativa espera mais do cooperado, mas no fim das contas para nós ela é muito importante”, concluiu Hebert. Na propriedade atuam além da Ernilda, seu marido Hebert e a irmã Edith, os filhos Anderson, Anderle e o genro Michael, cada um responsável por uma atividade. 


Fonte: Assessoria de Comunicação da Primato


Notícias relacionadas



Publicidade