Distribuição de lucros por cooperativas do PR deve chegar a R$ 3 bi este ano

Publicado em: 16 dezembro - 2020

Leia todas


A tradicional distribuição de lucros pelas cooperativas a cooperados este ano está apresentando números expressivos, a exemplo do Paraná, onde o segmento deverá distribuir em torno de R$ 3 bilhões, ante um faturamento recorde – estimado pela Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná) – de R$ 100 bilhões, com a expectativa de dobrar a marca em 2021.

Uma das explicações para essa ‘decolagem’ financeira pode ser encontrada na dinâmica diferenciada das cooperativas, que respondem por 65% da safra paranaense e a 45% da produção de proteína animal, como aves, suínos, leite e peixes. Em entrevista recente ao Canal Rural, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, atribuiu o resultado positivo, entre outros fatores, à ‘aposta’ do segmento em ‘atividades economicamente viáveis e muito bem definidas’. A esse rol, ele acrescenta “investimentos em gestão profissionalizada, governança e compliance, bem como em certificação de rastreabilidade e de sustentabilidade”.

Atualmente, mais de 120 agroindústrias instaladas no estado respondem pela ‘robustez’ do sistema cooperativo paranaense, que projeta para este ano um lucro líquido de R$ 5 bilhões. Metade desse montante, por sua vez, será reinvestido na promoção de oportunidades, ligadas à transformação de matéria-prima em produto acabado e de valor agregado, perfil necessário à exportação de seus produtos (metade ligada a produção de soja e proteína animal), que em 2020 deverá atingir cerca de R$ 4 bilhões.

Segundo Ricken, além do agronegócio, as cooperativas atendem outros seis segmentos, como crédito, saúde, transporte, infraestrutura, serviços especializados e cooperativas de consumo.  Em que pese a ascensão meteórica recente das cooperativas, o dirigente assinala que é a agropecuária que ‘comanda’ o movimento econômico, do qual responde por 84%.

O ano pandêmico atípico não impediu que algumas das principais cooperativas agropecuárias do estado tivessem condição de distribuir mais de R$ 360 milhões em lucros aos associados. As ‘sobras’, como também são chamadas pelo segmento, deverão chegar a R$ 139 milhões, no caso da Coamo Agroindustrial Cooperativa, de Campo Mourão, que distribuiu os valores, no último dia 9 de dezembro, aos mais de 29,4 mil cooperados no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Na avaliação do presidente do conselho de administração da Coamo, José Aroldo Galassini, a performance positiva decorre, entre outros fatores, “da capitalização da cooperativa, a participação expressiva dos cooperados na aquisição de insumos e entrega da produção, assim como pela valorização do dólar sobre a exportação das commodities este ano”. 

Outro exemplo de sucesso é o da cooperativa Copacol, de Cafelândia, que distribuiu R$ 118,2 milhões em lucros (valor 29% superior ao repassado no ano passado), beneficiando 6 mil cooperados das áreas de suinocultura, avicultura e piscicultura. Já a cooperativa Cocamar, de Maringá, anunciou a distribuição de mais de R$ 103 milhões em sobras, contemplando cerca de 15 mil cooperados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. O gerente da companhia, Osvaldo Mesti, destaca que os recursos distribuídos vão reforçar a economia local, sobretudo dos municípios menores. “Esse dinheiro vai ajudar aquele pequeno negócio, aquele pequeno mercado, que também vai conseguir acessar esse recurso”, completa. Na verdade, o pagamento feito pelas cooperativas paranaenses, em dezembro, se refere somente à primeira parcela das sobras, pois a segunda deverá ser distribuída no início do próximo ano.  


Marcello Sigwalt – Redação MundoCoop


Notícias Relacionadas



Publicidade