Educação precisa ser um projeto estratégico no agro, afirma especialista

Publicado em: 19 agosto - 2021

Leia todas


Empresas, cooperativas, associações, entre outros representantes do agronegócio, precisam ter a educação como um de seus projetos estratégicos, afirmou o diretor técnico da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Marcos Fava Neves.

Segundo ele, a educação no agro necessita de uma reforma para que possa gerar novos talentos e oportunidades de mercado.

“Empresas e instituições devem sempre reservar uma parte de seu orçamento para esse investimento. Os alunos precisam conhecer empresas, assistir a palestras, serem motivados e integrados. O agro, o País e todas as pessoas ganham com essa atitude”, afirmou o especialista.

Nesse contexto, Fava listou alguns desafios a serem enfrentados. Para ele, a educação deve ser orientada pela demanda. “Precisamos olhar para a resolução de problemas na jornada produtiva, dar prioridade para a ciência, direcionar a educação para a obtenção de soluções.”

Ao mesmo tempo, disse o especialista, “devemos promover a experiência da aprendizagem”, com a utilização de tecnologia, jogos, simuladores, sistemas digitais, entre outras ferramentas.  “É o aprender fazendo”, destacou.

Outro desafio, segundo Fava, é o da potencialização das relações entre professores e alunos, entre os próprios alunos, incluindo também nesse cenário possibilidades de interações, parcerias, contatos internacionais, etc.

Avaliação e comportamento

O sistema educacional também necessita de métricas de avaliação, acrescentou o diretor da SNA. “A educação deve se pautar por resultados práticos, científicos, pela construção de valor, pela formação de pessoas e por aspectos como empregabilidade, por exemplo.”

Por fim, completou Fava, “é preciso reunir esforços para fazer com que o estudante tenha mais equilíbrio e mantenha viva sua curiosidade e vontade de melhorar.”

Transformações

O diretor da SNA salientou ainda que, atualmente, a educação está passando por transformações importantes, como a digitalização e o aumento da oferta de conteúdos na Internet, que favorece a otimização do desempenho e tempo de aprendizagem do aluno, e no caso do agro, a criação de de uma forte demanda por profissionais do setor, diante dos resultados positivos em matéria de exportações, renda no mercado interno, entre outros fatores.


Fonte: Doutor Agro


Notícias Relacionadas:



Publicidade