Jovem cooperativista participa de encontro internacional sobre o futuro do agronegócio

Publicado em: 20 outubro - 2020

Leia todas


O festival Youth World Food Day, realizado de maneira virtual na última sexta-feira, 16, em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, contou com a participação de profissionais, empresas e jovens ligados aos sistemas agroalimentares em todo mundo. Entre eles, Júlio Netto, Diretor Vogal da Comissão dos Jovens Cooperativistas da Castrolanda, que integrou um painel específico direcionado as perspectivas dos agricultores para os próximos anos. 

Jùlio tem 19 anos, é estudante de agronomia, produtor rural que atua na produção de soja, milho, trigo e feijão no interior de São Paulo. Durante sua participação, o filho de cooperado da Castrolanda, enfatizou que é necessária uma transformação, buscando soluções inovadoras e indo além de questões técnicas. “No Brasil nossa agricultura está em constante crescimento. Vemos uma grande evolução nos investimentos em tecnologia e inovação. O que nós jovens precisamos fazer é ampliar esse acesso e garantir melhores resultados”, destacou.

O Jovem Cooperativista Julio Netto tem 19 anos e atua como produtor rural no interior de SP.

O espaço, destinado ao intercâmbio entre profissionais agroalimentares, serviu para importantes levantamentos sobre os gargalos, adversidades e como (novas) coalizões podem ser iniciadas e fortalecidas. Em uma abordagem interativa que se desenrolou durante todo o dia, soluções inovadoras e discussões sobre os desafios para fortalecer os esforços e, coletivamente, alcançar mais impacto, fizeram parte do cronograma do encontro. 

O convidado, inclusive, fez um comparativo com a preocupação dos consumidores de outros países. “Consigo observar que aqui, diferente de países como Holanda e Estados Unidos, por exemplo, ainda não há uma preocupação tão grande com a segurança dos alimentos e a sustentabilidade.”.

Como não poderia passar, também fez parte das tratativas o impacto da Covid-19 e as medidas adotadas para minimizar os prejuízos da pandemia. Em uma análise bastante sólida, o jovem produtor destacou o forte impacto nos food services, o aumento do desemprego e a queda no PIB no país. Entretanto, ponderou também sobre a força do agronegócio, que se mantém como expoente da economia nacional. “O agro não parou e continuamos com o constante trabalho e crescimento. Na Castrolanda e nas propriedades, todas as medidas de segurança foram adotadas para prevenir a Covid, deste modo, os setores continuaram a receber nossos produtos – grãos, leite e carnes”. A participação no evento foi organizada pelas áreas de Inovação e Relacionamento com o Cooperado da Castrolanda.


Fonte: Imprensa Castrolanda


Notícias Relacionadas



Publicidade