Países do G20 devem liderar ações para crescimento com gestão social e ambiental, diz ministra

Publicado em: 20 setembro - 2021

Leia todas


Ministros da Agricultura do G20 debateram contribuições para a próxima Cúpula dos Sistemas Alimentares e para a COP 26

ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse neste sábado (18), na reunião com ministros da Agricultura do G20, em Florença (Itália), que as principais economias do mundo devem cumprir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e o Acordo de Paris e apoiar os países que não têm condições para fazer a transição para uma produção sustentável. Ao participar de sessão sobre a contribuição do G20 para a próxima Cúpula dos Sistemas Alimentares (Food Systems Summit) e para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26), ela destacou que o mundo vive um momento decisivo na trajetória global em direção ao desenvolvimento sustentável. 

“Estou convencida da capacidade de nossos países de liderar a transformação para um mundo de crescimento econômico, inclusão social e gestão ambiental. Para isso, precisamos que os países desenvolvidos reconheçam e assumam suas responsabilidades históricas. Precisamos implementar os mecanismos necessários para remunerar as nações em desenvolvimento por seus serviços ambientais. O Brasil está pronto para fazer a sua parte, de acordo com sua história e realidade. Esperamos o mesmo compromisso de outras nações”, disse. 

No encontro com os ministros do Grupo, Tereza Cristina garantiu que o Brasil está ativamente engajado nos processos preparatórios para os dois eventos internacionais, que devem ter como destaque a contribuição da agricultura para a sustentabilidade. “Em ambas as ocasiões, nossas discussões devem ocorrer no contexto da contribuição vital da agricultura para a segurança alimentar global e sua vulnerabilidade aos impactos do aquecimento global e das mudanças climáticas”.

A Cúpula dos Sistemas Alimentares (Food Systems Summit) acontece no dia 23 de setembro, em Nova York (EUA), e a COP 26 será realizada em novembro, em Glasgow, na Escócia. 

Inovação

Assim como no discurso de ontem (17), a ministra voltou a citar a importância da ciência, da inovação e do desenvolvimento tecnológico para promover as transformações necessárias. Segundo ela, a inovação está no centro da revolução verde do Brasil, que deixou de ser um importador de alimentos para ser um exportador líder em pouco mais de 50 anos.

“É por meio da inovação que continuaremos a promover o crescimento sustentável da produtividade na agricultura, com esforços de mitigação e adaptação”.

G20

Em comunicado oficial divulgado hoje, os ministros da Agricultura do G20 enfatizaram os compromissos com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e o Acordo de Paris, e garantiram que vão continuar trabalhando para promover sistemas alimentares sustentáveis ​​e resilientes que criem benefícios para as pessoas, o planeta e a prosperidade “Tomaremos ações urgentes para lidar com as causas e impactos das mudanças climáticas e conservar, proteger e restaurar a biodiversidade e os ecossistemas”, diz o comunicado. 

Os membros do G20 são: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia, Turquia e a União Europeia. A Espanha é convidada permanente. Os membros do G20 respondem por mais de 80% do PIB mundial, 75% do comércio global e 60% da população do planeta.

Ao final do evento, a ministra avaliou como positivo o encontro dos representantes dos 20 países. “Foi uma reunião muito boa para ouvir as diversas opiniões dos países do G20 sobre meio ambiente, agricultura sustentável. Foi muito bom colocar a posição do Brasil que nossa agricultura é sustentável”.


Fonte: MAPA


Notícias Relacionadas:



Publicidade