Pequenos cafeicultores do Paraná comemoram exportação direta à Espanha

Publicado em: 28 janeiro - 2021

Leia todas


Um verdadeiro presente de Natal. Assim pode ser descrita a primeira exportação direta de cafés especiais, realizada pela Cooperativa de Cafés do Norte Pioneiro do Paraná (Concenpp) no Porto de Santos, no último dia 24 de dezembro, tendo como destino Barcelona, na Espanha. No total, foram embarcadas 96 sacas (de 30kg, cada) de café natural e cereja descascado (de 30 quilos cada), cuja chegada ocorreu 15 do corrente mês.

A comercialização dos cafés enviados à Espanha é voltada a torrefações, mas também por meio de plataformas de e-commerce direto ao consumidor final. Após o primeiro envio, a cooperativa recebeu propostas de exportações para outros países, como Itália e Rússia. Participaram desse primeiro processo de exportação direta, sete pequenos produtores cooperados: Evilásio Shigueaki Mori, Paulo José Frasquetti, Ricardo Batista dos Santos, Claudinei de Carvalho Nunes, Pedro Luiz Costa, Antônio Carlos Delmonico e Armando César Casimiro.

Já o planejamento e a documentação necessária à venda externa foi encaminhada pela representante comercial da Cocenpp, Angelina Harumi Shimysu Jussiani, que recebeu capacitação da Apex Brasil, voltada especificamente a micro e pequenas empresas, de forma totalmente online, devido à pandemia. A operação de exportação começou a ser delineada com a localização do exportador, após contato de Angelina com um cafeicultor do Noroeste do Paraná, por ocasião da Semana Internacional do Café, em Minas, em setembro passado.

Logo depois de visitar produtores de Cambira, Maringá e Apucarana, ela recebeu a ligação de um deles, que mencionou um amigo da Espanha que manifestou interesse de conhecer a cooperativa. A conversa resultou numa visita do investidor espanhol à cooperativa, em Gongonhinhas, quando pôde conhecer a unidade de beneficiamento no município de Lavrinha, ambos no Norte Pioneiro. Foi aí que surgiu a ideia de o europeu levar ao Velho Mundo a commodity especial do Brasil. 

Exigências atendidas – Uma vez atendidas as exigências de documentação e definido o planejamento da logística de envio em poucas semanas, o produto-símbolo do país contará com um selo de Indicação Geográfica (IG) estampado em suas embalagens, turbinando a estratégia de marketing, em desenvolvimento no território espanhol, do café do Norte Pioneiro do Paraná. Além disso, Angelina lembra que o esforço exportador não teria sido viável sem o suporte técnico do Sebrae/PR, para conquista da IG. “Fiz o treinamento, me esforcei e fizemos acontecer, mas só deu certo pelo cooperativismo e o trabalho dos produtores, da COCENPP, e apoio da Apex e Sebrae/PR.”

A maturidade de exportar, sem a necessidade de traders, é ressaltada pelo presidente da Cocenpp, Ricardo Batista dos Santos, para quem exportação das commodities pioneiras “é um sonho realizado”. Ele é exportador desde 2013, mas essa é a primeira vez que a venda externa diretamente, sem intermediação. “Agora, podemos dizer que nos tornamos exportadores. O lucro vai ficar dentro da cooperativa e para nós, produtores, a remuneração é muito boa. Recebemos o dobro do preço que teríamos aqui no mercado nacional”, comemora o dirigente.


Por Marcello Sigwalt – Redação MundoCoop


Notícias Relacionadas



Publicidade