Puxado pelo ramo agrícola, PIB mineiro cresce 8,2% em 2016

Publicado em: 23 março - 2017

Leia todas


O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio mineiro teve ligeiro crescimento de 0,05% em dezembro de 2016, fechando o ano com alta de 8,2% em relação ao ano anterior, segundo estimativas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, com o apoio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional de Minas Gerais (Senar-AR/MG). Embora para 2017 as projeções do mercado deem sinais de recuperação, as perspectivas seguem no campo da incerteza.

Para os pesquisadores, o resultado positivo esteve atrelado principalmente ao ramo agrícola, que cresceu 0,29% em dezembro de 2016 e 19,76% no ano. Já o pecuário apresentou respectivas quedas de 0,24% e 3,40%. A participação estimada do agronegócio mineiro no PIB agro nacional fechou 2016 em 13,84%, com elevação nos segmentos de insumos, industrial e serviços, e queda apenas no segmento primário.

No segmento primário da agricultura mineira, que registrou crescimento significativo em preços reais (13,02%) e quantidade (17,31%) em 2016, destaca-se o desempenho do café, com forte aumento de 36,42% em produção para o ano. Quanto ao segmento primário do ramo pecuário mineiro, enquanto a avicultura acumulou resultados positivos, a bovinocultura e a suinocultura seguiram em baixa. Segundo pesquisadores do Cepea, isso se deve, em certa medida, à substituição do consumo de proteínas mais caras pelas de menor valor.

No segmento industrial, o setor sucroenergético foi destaque em 2016, beneficiado pelo alto patamar de preços do açúcar no mercado global. As indústrias de café e bebidas também registraram desempenhos positivos, ressaltam os pesquisadores do Cepea.



Publicidade