Tecnologias aperfeiçoam análise de grãos

Publicado em: 18 julho - 2021

Leia todas


Duas soluções melhoram a precisão e rastreabilidade na classificação de grãos

O Brasil se tornou uma potência mundial dos grãos. A safra 2020/21 deverá atingir 262,13 milhões de toneladas. Só na soja um novo recorde estimado em 135,86 milhões de toneladas, 8,8% superior à safra passada. 

Os resultados impressionantes consideram avanço de pesquisa, manejos, cultivares e tecnologias. Entre as safras 1990/91 e a 2020/21 os avanços mostram o tamanho deste potencial. A área plantada cresceu 82% e a produção avançou 350%. Nesse mesmo período os ganhos em produtividade possibilitaram a economia de 102 milhões de hectares. “Isso é sustentabilidade na veia. Nossa área cresceu quatro vezes a área e economizamos abertura de novas áreas”, destacou o ex-ministro da Agricultura e Coordenador do Centro de Agricultura da FGV, Roberto Rodrigues, durante o evento Agroevolução, promovido pelo Gênesis Group.

Para ele os desafios do novo agro passam pela integração entre o rural e o urbano, segurança alimentar, comunicação das ações realizadas, sustentabilidade e por ferramentas que assegurem a origem e a qualidade dos produtos. O consumidor cada vez mais quer saber o que consome, de onde vem, como foi produzido. “Isso vai acontecer no mundo todo, de forma mais frequente, e vai abranger todas as culturas agrícolas”, disse.

Nesta linha a Gênesis Group, que já trabalha com rastreabilidade de produtos para vários produtos, apresentou duas tecnologias que ajudam a certificar a origem vegetal dos grãos. A primeira é a chamada Grão Certo, que classifica e faz o raio X dos grãos e a segunda é portátil e permite a análise dos grãos ainda no campo.

A tecnologia de precisão que usa inteligência artificial é uma parceria com a startup de sensores inteligentes Mvisia, faz a classificação de grãos de forma automatizada, substituindo a forma manual e reduzindo a interferência humana no processo, reforçando a imparcialidade. 

“A Grão Certo veio para uniformizar a classificação de produtos de origem vegetal. É possível fazer o acompanhamento online, em tempo real na palma da mão’’, destaca André Donadel, diretor de tecnologia do Genesis Group.

Já a solução portátil analisa em poucos minutos os teores de proteína e óleo dos grãos de soja. A chamada Nira, desenvolvida em parceria com a startup Zeit Análises Químicas, faz análises precisas no campo. Por meio das análises é possível determinar em poucos minutos os atributos do grão, proporcionando maior poder de decisão na cadeia produtiva. O equipamento usa tecnologia de infravermelho próximo e afere os números em poucos minutos. 

Os dois serviços estão disponíveis comercialmente em todas as regiões produtoras do país. Para Donadel os instrumentos possibilitam que o produtor, o comprador e o consumidor dos grãos tenham vantagens e segurança. “Essa pergunta de onde veio esse produto não acontece sem a rastreabilidade. A segunda pergunta que vem é esse produto não utilizou trabalho escravo, não atacou o meio ambiente? A gente percebe em nossos programas de rastreabilidade que já têm essas informações encapsuladas a importância disso. Em um futuro muito próximo esse consumidor vai tomar a sua decisão com base na origem do produto”, finalizou. 


Fonte: Agrolink


Notícias Relacionadas:



Publicidade