A força do marketing no futuro do cooperativismo – Vera Caser é consultora de marketing e instrutora do Sescoop

Publicado em: 09 novembro - 2021

Leia todas


As cooperativas passam por um momento de transformação que vai determinar o futuro do cooperativismo no Brasil. Essa fase de mudanças está diretamente ligada à forma de se relacionar com o consumidor contemporâneo.

A concorrência e a dificuldade para manter preços reduzidos, a aceleração da transformação tecnológica e a dificuldade para preservar a proximidade com os associados neste novo cenário são alguns dos desafios que se apresentam para as organizações.

Como lidar com questões tão delicadas, que são determinantes para o sucesso do negócio? O marketing e a comunicação têm um papel estratégico para ajudar as cooperativas a se posicionarem, a se relacionarem e a venderem neste momento. E essas ações e o planejamento de marketing devem ser alinhados ao plano de negócios da organização.

O marketing é a área que detém conhecimento sobre relações com o consumidor e sobre todo o ferramental e habilidade técnica de que as cooperativas devem lançar mão para evoluir. A atuação dos times de vendas, de novos negócios e de tecnologia, por exemplo, precisa estar alinhada com a visão de marketing.

Experiência do cliente

Todo o processo de compra e de aquisição de associados está baseado na jornada do cliente, na experiência do consumidor. Disso depende relacionamento, comunicação, conhecimento de marketing.

Como as nossas cooperativas vão competir no ambiente de open banking? Open finance?

Vai ganhar a batalha quem conseguir traduzir da forma mais eficiente e rápida para o cooperado os benefícios e soluções que serão gerados pelos produtos e serviços. Não há como dissociar essas áreas.

Esse protagonismo exige de nós, profissionais de marketing e de comunicação, conhecimento do negócio para falar sobre ele com propriedade. E cabe à alta direção liderar o processo de inserir a cultura do marketing e da comunicação na cooperativa.

No atual contexto em que vivemos, é imperativo que toda a equipe compreenda que o marketing é a parte do negócio que faz a cooperativa vender.

A atuação do marketing é estratégica, e cabe à equipe dessa área mostrar essa relevância com dados, informações consistentes, ações efetivas.

O trabalho de marketing, principalmente no universo digital, integra uma construção coletiva. É imprescindível alinhar a expectativa com a direção e com os gestores. Essa compreensão faz com que as coisas aconteçam.

Cooperados mais exigentes

Há novas oportunidades e necessidades. Os cooperados mudaram e estão mais exigentes. Os hábitos de relacionamento também estão diferentes. 

As pessoas querem se sentir valorizadas pela cooperativa. E isso passa pelo interesse genuíno por elas, pelos seus problemas e dificuldades. Abordagens interesseiras não funcionam mais.

O marketing é uma realidade que precisa ser incorporada de forma inteligente no dia a dia das cooperativas. 

As redes sociais e outras ferramentas online são importantes aliadas para conectar pessoas. Usar estes canais para fazer panfletagem está fora de questão! A abordagem requer estratégia, algo que os profissionais de marketing precisam saber como construir.

Redes sociais não são quadros de avisos. Elas são locais de entretenimento, relacionamento e informação. Pense nelas como se fossem salas de conversa. Interação importa.

As cooperativas precisam aproveitar todas as oportunidades propiciadas pelo meio digital para manter a proximidade com os associados, reforçar mensagens importantes e gerar novos negócios.

O marketing e a comunicação, mais do que nunca, têm um papel vital no processo de desenvolvimento das organizações, que passa pela mudança nas formas de conexão com a sociedade.

É absolutamente necessário usar adequadamente as técnicas e ferramentas do marketing e da comunicação para manter a proximidade e o vínculo estreito com o cooperado, mesmo que à distância.


*Vera Caser é consultora de marketing e instrutora do Sescoop



Publicidade