Como o Cooperativismo impulsiona o mercado de Previdência no Brasil – Denise Maidanchen é Diretora de Desenvolvimento e Investimentos da Quanta Previdência

Publicado em: 14 outubro - 2021

Leia todas


Em sintonia com a maior revolução do século XXI

A maior missão das cooperativas é mais do que oportunizar produtos, serviços e soluções sustentáveis aos seus associados. Não se caracteriza apenas em gerar resultados financeiros, mas sim na geração de valor, de educação, sustentabilidade e da evolução de carreiras e negócios, que são impulsionados pelas cooperativas. 

Um compromisso com o futuro 

Dentro desse contexto em que o cooperado está verdadeiramente no “centro” das decisões e das estratégias, um significativo trabalho focado na previdência vem sendo feito pelas cooperativas para responder a esta gigante revolução do século XXI, que é o aumento da expectativa de vida no Brasil, a qual infelizmente não está sendo acompanhada por planejamentos públicos ou privados, para que a conquista de sobrevida não se transforme em um pesadelo para aqueles que não se programam psicologicamente e financeiramente para viver uma vida mais longa, que já pode chegar aos 100 anos. 

Há mais de 15 anos, o cooperativismo vem atuando na disseminação da cultura previdenciária do País e já conquistou o primeiro lugar, dentre as associações que disponibilizam o modelo de “previdência associativa”. A quantidade de cooperados com previdência fechada associativa somente nos Planos Administrados pela Quanta Previdência Cooperativa, chega a ser superior à de cooperados que utilizam as operações de crédito (serviço essencial em uma cooperativa de crédito). 

Cooperativas como a Unicred Ponto Capital (maior cooperativa do Sistema Unicred), possui mais de 50% da base de cooperados com previdência; outro exemplo é a Cooperativa Coomarca (voltada a Magistrados, Membros do Ministério Público, ocupantes de cargos públicos de nível superior,) que mesmo atuando com um público que já possui previdência pública através de regime próprio, 54% realizam sua complementação através da previdência associativa e por fim, a maior cooperativa do Brasil, a Viacredi (Sistema Ailos), recentemente iniciou a disponibilização do Plano Prevcoop (administrado pela Quanta) aos seus associados e já possui quase 50 mil pessoas poupando para o futuro.

O cooperativismo é a instituição que consegue realizar o mais consistente trabalho de conscientização em relação ao planejamento previdenciário, por esta razão, os mais importantes sistemas cooperativos como Unicred, Ailos, Sicoob e Unimed, escolheram a PREVIDÊNCIA FECHADA ASSOCIATIVA, para de fato contribuir na geração de reservas “de longo prazo” 

Em geral, os planos de previdência de bancos e seguradoras, disponibilizam seus produtos de previdência como investimentos ou com foco na economia tributária, o que de certa forma promove adesões, mas nem sempre a “consciência de sua importância”. Cobram taxas altas, que corroem as rentabilidades e não conseguem ter bons índices de retenção, segundo dados da Fenaprevi, 60% dos planos de previdência de bancos e seguradoras, são resgatados em até 2 anos, ou seja, possuem mais similaridade a um investimento do que a um plano de previdência, que tem como premissa, focar no longo prazo e na geração de renda.

Em contrapartida, a Quanta Previdência Cooperativa e suas instituidoras, hoje mais de 50 cooperativas do Sistema Unicred e Sistema Ailos, tratam a previdência com foco de longo prazo e na geração de renda e não apenas como um “produto financeiro”.  Disponibilizam planos para a vida do cooperado, que protegem o presente através de coberturas de risco que geram proteção familiar e formam as reservas necessárias para o futuro, para aposentadoria ou para liberdade financeira na longevidade. O resultado?

  • A previdência é consequência de um trabalho intenso de educação financeira o que resulta numa “duration” dos planos muito maior. Durante toda a jornada da Quanta Previdência, 17 anos, apenas 12% dos cooperados realizam resgates e no ano de 2020, mesmo com a pandemia o índice de saída nos planos da Quanta foi de apenas 2,49%, o menor índice do país. 
  • 47% dos participantes já nos pós ondoarding (em 60 dias) fazem sua primeira revisão ao plano, no aplicativo da previdência, que estimula através de modelos educacionais, intuitivos e preditivos, a melhorar o seu planejamento;
  • 30% dos pais já realizam também um planejamento previdenciários aos seus filhos;
  • O índice de portabilidade de saída é inferior a 1 % ao ano de transferência patrimonial.

As pessoas no centro da estratégia 

Dentre os fatores que influenciam e potencializam o alcance destes números, primeiramente destaco a importância colocarmos as pessoas no centro da estratégia. Sempre foi importante pensar e planejar o futuro, mas as pessoas precisam de apoio para realizar essa ação. O ano de 2020 foi um ano desafiador nos mostrou de forma mais evidente a necessidade de sermos previdentes. 

A Quanta Previdência Cooperativa, foi criada para ser uma solução, um caminho seguro e mais rápido para a formação de reservas de longo prazo, necessárias para a pagamento de rendas na aposentadoria, então, ao desenvolver e disponibilizar planos diferenciados aos cooperados, a Quanta conseguiu crescer rapidamente, conquistando a confiança e uma surpreendente evolução patrimonial. Dentre os diferenciais da previdência cooperativa, estão: 

  • Intenso trabalho de educação financeira e previdenciária, para que as pessoas mais do que aderir a um plano, entendam a verdadeira importância deste mecanismo e o quanto no futuro essa decisão terá sido relevante;
  • As menores taxas que resultam em saldos e rendas maiores do que aquelas oferecidas pelos bancos e corretoras tradicionais; 
  • Rentabilidades maiores que a dos planos similares de mercado, gerando aumento das reservas mais rapidamente;
  • garantia das “contas individuais” de previdência, durante toda a jornada previdêncial, seja na fase de contribuição ou na fase de recebimento das rendas. E esta modelagem só existe em planos fechados;
  • Por fim, a segurança nas operações, atestados por certificações internacionais; gestão de investimentos com gestores renomados de mercado; intenso trabalho de comunicação e educação financeira e disponibilização de atendimento e ferramentas digitais modernas, intuitivas e humanizadas, que dão autonomia e transparência aos participantes.

A Quanta encerrou o primeiro semestre de 2021 com 4,5 bilhões em reservas, 135 mil participantes, mais de 290 mil pessoas amparadas. Estamos com uma visão bastante positiva, pois acreditamos que a pandemia trouxe uma mudança no comportamento das pessoas, principalmente quando se trata de segurança e finanças. 

Nossos esforços estão voltados a captar, através de educação e estratégias digitais, essas oportunidades que o mercado de previdência possui e agora foram amplificadas pelo aumento da expectativa de vida e da reforma da previdência. 

Como fatores de diferenciação, taxas de administração foram reduzidas no 1º semestre, as carteiras de investimentos ainda mais sofisticadas e consistentes, investimentos tecnológicos com foco na autonomia digital de ponta-a-ponta e experiências encantadoras aos participantes, além da geração de valor na fidelização e diferenciação de serviços para as cooperativas.


*Denise Maidanchen, Diretora de Desenvolvimento e Investimentos da Quanta Previdência



Publicidade