Cooperativas de crédito, instrumento de progresso – Juraci Barbosa Sobrinho é ex-secretário de Estado de Planejamento e Coordenação Geral do Paraná

Publicado em: 08 outubro - 2020

Leia todas


O Anuário do Cooperativismo Brasileiro 2019 registrava 8.828 cooperativas de 13 ramos diferentes, reunindo 14,6 milhões de cooperados no país. São mais de 425 mil postos de trabalho e crescendo a taxas vistosas.

O ramo agropecuário possui 1.613 cooperativas e gera 210 mil empregos diretos. Porém, as que mais crescem em número de cooperados são as financeiras, do ramo de crédito, que somam quase 10 milhões de cooperados e 67 mil empregos.

Após dois anos da fundação da primeira Cooperativa das Américas, em Quebèc – Canadá, surgiu, em 1902, a primeira cooperativa brasileira de crédito, em Nova Petrópolis (RS). A Caixa de Economia e Empréstimos Amstad, depois Caixa Rural de Nova Petrópolis, ainda está em atividade. É a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Pioneira da Serra Gaúcha – Sicredi Pioneira.

Segundo dados do Banco Central (2018), as cooperativas financeiras administram R$ 294 bilhões em ativos, representando 3,57% do mercado financeiro brasileiro e sexto lugar no ranking das instituições financeiras. Operações de crédito atingiram R$ 112 bilhões e em depósitos R$ 129 bilhões.

O estado do Paraná aprendeu rapidamente que o cooperativismo é um instrumento seguro e justo para o desenvolvimento. De acordo com o Sistema Ocepar, que congrega e historicamente orienta e assessora as cooperativas paranaenses, 56 instituições atuam no ramo de crédito. Sicoob, Cresol e Sicredi são as principais referências.

Os números demonstram suas contribuições ao desenvolvimento econômico do estado. Operações de Crédito: R$ 26,4 bilhões; Recursos Administrados: R$ 31,1 bilhões; Ativos: R$ 57,1 bilhões. São quase dois milhões de cooperados e mais de 12 mil empregados.

O cooperativismo de crédito tem um importante papel de agente de inclusão financeiro, pois leva serviços e recursos às mais longínquas comunidades onde na maior parte das vezes os agentes bancários não se interessam.

Quiçá todos os 399 municípios paranaenses possam ter a presença de cooperativas de crédito para apoiar as micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais.

Uma cultura de associativismo que contribuirá para aumento, circulação e permanência da riqueza em nosso estado, beneficiando nosso povo.

*Por Juraci Barbosa Sobrinho, ex-secretário de Estado de Planejamento e Coordenação Geral do Paraná e foi diretor-presidente da Fomento Paraná



Publicidade