Desafios e mudanças para as empresas com a chegada do 5G – Jonathan Rodbourne é CEO da VC-X Solutions

Publicado em: 18 junho - 2022

Leia todas


A quinta geração de internet prevê feitos bastante significativos e se trata de um importante marco na nossa realidade para um futuro em que tudo estará conectado. No entanto, ainda há pela frente muitos desafios para que o Brasil possa, finalmente, usufruir dessa tecnologia

O processo de infraestrutura  esbarra em uma série de burocracias, isso porque muitas cidades possuem legislação específica para a instalação das torres ERBs (Estações de Rádio Base), que transmitem o sinal da operadora para os celulares. Além disso, é previsto que para funcionar em suas diferentes faixas de frequência o 5G precise de até cinco vezes mais antenas do que as utilizadas para o 4G. Ou seja: maior custo de infraestrutura.

Para as empresas, alguns dos desafios estão relacionados à segurança de dados, pois como haverá muitos dados em circulação, serão necessários procedimentos ainda mais confiáveis. Há ainda a necessidade de mão de obra qualificada para implantar e manter a nova tecnologia.

Em relação às mudanças, o 5G vai proporcionar novas possibilidades em função da sua capacidade de transferência de dados, dispositivos conectados de forma simultânea e menor latência. Diversos segmentos poderão ser beneficiados com a nova tecnologia. Em uma indústria, por exemplo, a conexão 5G permitirá uma super automação de toda a rede de produção, com sistemas de monitoramento muito mais sofisticados e sensores instalados nesses equipamentos, medindo o tempo de vida, o desgaste, a necessidade de manutenção etc.

A nova tecnologia também fortalecerá a prática do trabalho remoto. Os softwares de gerenciamento de time e de chamadas de vídeo, bastante utilizados hoje em dia, ganharão ainda mais capacidade. As previsões apontam, por exemplo, a criação de escritórios virtuais, onde os membros de uma equipe poderão colaborar uns com os outros naturalmente, ainda que estejam separados por uma longa distância.


Por Jonathan Rodbourne, CEO da VC-X Solutions


Leia outros artigos



Publicidade