Aplicativo do FGC facilita resgate de valores por investidores

Publicado em: 08 novembro - 2020

Leia todas


Uma ferramenta específica para resgates por quem depositou ou investiu em bancos e instituições que quebraram. Trata-se do aplicativo lançado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), em que a assinatura que atesta a recepção dos valores passa a ser digital, evitando a necessidade de ida à agência bancária para cumprir esse procedimento, divulgou a Agência Brasil.

Mediante essa assinatura digital, o fundo busque nas instituições em liquidação o ressarcimento dos valores pagos como garantia aos investidores. Com o aplicativo, a assinatura passa a ser digital, o que permitirá ao FGC buscar nas instituições em liquidação o ressarcimento dos valores pagos como garantia aos investidores. Dessa forma, a segurança de todo o processo está garantida.

Com a adoção do aplicativo do FGC, a expectativa é de que o tempo de ressarcimento dos investidores poderá cair de um mês para alguns dias, caso o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprove aprimoramentos regulatórios.

Além de conferir mais agilidade e comodidade em operações como pagamento de garantias, o aplicativo FGC está disponível nas lojas de aplicativos dos sistemas Androide e iOS. Em sua primeira versão, a inovação dará exclusividade a Pessoas Físicas que possuam depósitos ou investimentos em instituições liquidadas ou sob intervenção do Banco Central (BC). O novo aplicativo deverá ganhar novas funcionalidades nos próximos meses.  

Formado por contribuições das instituições financeiras associadas e pela rentabilidade desses recursos, o FGC cobre até R$ 250 mil por conta, CPF ou CNPJ, em caso de intervenção, liquidação ou falência da instituição financeira, decretada pela autarquia. Criado em 1995, o fundo sofre gestão de uma entidade privada sem fins lucrativos.

Para períodos mais longos, de quatro anos, as garantias têm um limite de R$ 1 milhão, caso um mesmo cliente tenha valores cobertos pelo FGC em mais de uma instituição financeira sob intervenção ou liquidada ou falida, no período.

Até outubro último, o aplicativo estava sendo testado com alguns beneficiários da Dacasa Financeira – instituição liquidada pelo BC em fevereiro último – que ainda não tinham sacado o dinheiro até 22 de setembro, quando expirou o prazo do resgate. Agora, o FGC liberou o aplicativo para os demais beneficiários da instituição que não havia solicitado o mesmo direito.


Por Redação MundoCoop


Notícias Relacionadas



Publicidade